O que é considerado um relacionamento sério

Nunca senti tamanho desgosto de ter pedido meu tempo conversando com alguém

2020.11.13 06:42 satanistboy Nunca senti tamanho desgosto de ter pedido meu tempo conversando com alguém

Sim, sentimento está extremamente forte e pesado e pra piorar tô sentindo isso pela minha mãe
[textão alert]
{contexto} Minha mãe é psicóloga e eu tenho depressão faz alguns anos mais ou menos e ela demorou um tempo absurdo pra se tocar que o filho dela tem depressão (amigo meu me falou uma vez " em casa de ferreiro o espeto é de madeira" ou algo assim, aliás salve Demon) e de novo, a questão não chega a ser essa, o buraco é mais embaixo, pq no momento que eu fui medicado e devidamente diagnosticado ela levou mais a sério e valeu a pena ter contado tudo pra ela e ter esperado até q ela me levasse a sério; ela me disse que preferia que eu falasse como eu estou e q eu dizer como q está minha saúde mental do que ele tiver na ignorância (pelo menos foi oq eu tinha pensado na época) nesse período queria muito parar o cursinho pq não tava acompanhando a matéria fazia meses e não conseguia estudar e minha mãe e meu pai concordaram desde q eu trabalhasse ou estudasse. Concordei pensando que estaria em condições de trabalhar porém estava enganado e minha mãe estava pressionando muito e eu tava tentando dizer pra ela q eu não estava bem e q N ia dar pra eu arrumar um trampo porém nada tava adiantando, ent decidi demonstrar meus sentimentos na intensidade q ele era pra ela sem nenhum tipo de ponderação, foi uma verdade nua e crua já que com cuidado não funcionava nem um pouco ai tinha até q funcionado
Passou um tempo, e senti q a partir do momento em q o remédio estabilizou ela partiu do princípio que eu estava 100% bem e que tava tudo certo (não sei se era oq ela pensava, mas era oq o comportamento dela dizia, e isso mexia comigo, mas era menos ent era relativamente lidavel. Minha mãe começou a forçar absurdos pra eu arrumar um emprego e aquilo ali tava muito pesado e ruim pra mim, pq tenho ansiedade pra algumas coisas e o assunto de trabalho eu sinceramente tenho muito medo e preocupação em danificar ainda mais meu psicológico (que inclusive estava e sinceramente ainda está em um estágio bem suicida e bem inconsequente em relação a minha própria vida e minha mãe SABE disso e ou finge demencia ou esquece com uma frequência relativamente alta) e eu tinha anteriormente entrado em um grande estado de apatia e isso fez deixar ela extremamente mal e arrasada e eu simplesmente não podia fazer nada, já que não tinha controle sobre isso (pra quem não entendeu é tipo como se alguém tivesse desconectado seu controle do console e você só assiste você se mexendo sozinho porém não consegue controlá-lo de forma alguma) e eu felizmente consegui sair disso (e sinceramente as vezes eu sinto uma falta enorme desse jeito que eu ficava e queria que ele voltasse pq assim paro de me machuca sofrer, e ela soube que tinha uma época que eu queria o forte e frio abraço da morte (e sinceramente é uma das coisas que eu mais queria) e após ela ver tudo isso ela começou a se esforçar ao máximo pra eu melhorar psicologicamente e deu certo até um certo momento por causa da pandemia e parei minha terapia pq eu basicamente não podia falar, pq ela ficava falando sobre pandemia, corona vírus, pandemia, isolamento social e como eu estava sendo extremamente inconsequente de sair de casa (durante esse período eu namorava e eu ia na casa dela em uma cidade vizinha bem pequena uma vez por semana mais ou menos) e sinceramente eu tentei muitas vezes e foi bem cansativo falar pra ela de q eu não queria falar sobre isso porém não adiantava, aí dps de várias tentativas eu decidi parar (fora que eu tava julgando que eu tava melhor e iria conseguir lidar bem com a terapia mesmo durante a pandemia, também tinha o fato de q minha mãe deixou de fazer terapia na frequência que ela gostaria pra dar prioridade pra mim, ent achei justo abdicar um pouco minha terapia por ela )
Porém não foi tão simples assim, a pandemia foi responsável por multiplicar meus problemas a 89 mols e deixar a solidão muitíssimo maior, porém meu medo do trabalho ser estressante no nível necessário de eu cometer o suicídio que eu tanto queria ter coragem e isso era bem possível, fora que é basicamente muito delicado alguém que não tem a mínima vontade de fazer nada e alguém que não sente prazer em absolutamente nada quer fazer qualquer outra coisa, nos meus dois últimos relacionamentos eu tentei aproveitar ao máximo e aproveitar pra pegar a energia que o relacionamento tinha gerado pra arrumar um emprego (que provavelmente era e mal mal será minha última tentativa de fazer alguma coisa pra minha saúde mental, pq sinceramente faz uns 4 anos q era pra eu estar morto e cá estou eu só tomando no cu e pegando mais desgosto por estar vivo) ent por causa da minha situação extremamente lixo e frágil eu tenho tentado achar um lugar legal pra trabalhar ou minimamente lidavel pra eu trampar e "sentir o grande bem e maravilhas que o trabalho pode fazer" porém nesse período eu não enviei muitos currículos (foram aproximadamente 20 currículos porém pra minha mãe aquilo era extremamente baixo) ent minha mãe e eu tivemos uma discussão fodida e eu expressei oq eu tava sentimento, que ela estava me pressionado muito e q N tinha pra que dizer, ela entendeu e disse que bate um desespero de me ver deitado na cama sem fazer nada e q entendia que eu estava sendo pressionado por ela e ela disse que iria tomar mais cuidado com a pressão
Esse diálogo foi de certa forma importante pq eu consegui aumentar um pouco mais os lugares q eu iria mandar currículo e fez eu buscar emprego com mais voracidade (durante uns 3 meses mais ou menos) mas o lado mais importante é q ela disse que percebeu que me apressar pra isso não é algo que funciona, me pressionar em relação a emprego não funciona nem um pouco e eu realmente acreditei q ela entendeu essa parte, porém a partir desse ponto a situação piorou cada vez mais
Começando com o fato do meu relacionamento amoroso que eu tinha ter acabado e de uma forma bem miserável (era um relacionamento aberto, essa mina tinha boderline e ela ainda gostava do ex pra Krl e mantinha contato com ele, e quando eu questionei isso com ela, ela disse que não tinha com oq de preocupar que por mais que ela quisesse ficar com ele ele morava longe aí decidi terminar e demorou pra eu me tocar que fui trocado pelo ex dela, me senti muito descartável e inútil, e hoje em dia isso me deixa muito mais mal do q antes) também teve o fato de q me senti abandonado (e fui de fato pelos meus amigos pessoalmente e só tinha me sobrado meus amigos virtuais que eu gostava/gosto pra Krl. Também teve o fato de q meu pai não levou nem um pouco e não demonstrou se importar com uma tentativa de suicídio falando que isso é normal q os jovens ficam com depressão por causa da Internet e acham que o suicídio é uma boa opção (e eu tinha tentando e ele agiu como se não fosse nada, que aliás dá pra perceber que o suicídio do filho não significa absolutamente nada pra ele) também teve o fato de q tive um relacionamento com uma mina q tinha sociopatia e com a diferença de 5 anos conseguiu fazer um relacionamento abusivo, fez eu ter várias crises de ansiedade (ela já fez eu ter uma crise de ansiedade dizendo que estava grávida, ela durante uma discussão disse que a vez que eu e ele fomos no motel eu estuprei ela, pq segundo ela me deu sinais de q eu queria. E na real que eu perguntei várias vezes se ela realmente queria e ela disse que sim. Quando ele ficou mais suave ela disse que só falou que eu estuprei ela pra eu me sentir mal e q ela tava querendo sim ) esse relacionamento foi tão lixo que absolutamente quase TODO MUNDO VIROU AS COSTAS PRA MIM E SE RECUSOU A ME AJUDAR SOBRE QUALQUER COISA que envolvesse esse relacionamento e isso fodeu mais ainda. Como se já não fosse o suficiente minha vontade de vive permanecer vivo já tinha ido embora e teve morrendo de vontade de me matar e acabar com essa merda de sofrimento acabar e já tava meio q querendo " marcar" um dia pra eu me matar porém algo aconteceu que me impediu de fazer (sinto que já fiz tudo que poderia fazer, tava fazendo terapia porém não tô mais e a terapia online ta um lixo, tomo remédio e o remédio ajuda pra Krl porém não acho que eu nesse estado é o remédio deem conta, e também tô indo com a maior dificuldade na academia 3x por semana
A terapeuta da minha mãe morreu e ele ficou extremamente arrasada e triste, deu muita dó e mal por ela, ent tentei fazer uns agrados pra ela e ela ficou feliz e Krl a 4 e por conta desse acontecimento pensei q ela não iria conseguir lidar com a minha morte e ela provavelmente iria morrer pouco tempo mais frente, admiro ela pra Krl, ela pediu divórcio de um casamento em ruínas que ela estava casada por mais q 30 anos e conseguiu se divorciar aguentou o tanto de merda que meu irmão já falou e lidou com o fato do filho dela querer se matar.
{Fim do contexto}
{Começo do desabafo}
Eu estava extremamente frustrado e mal e cansado no meu quarto q tarde por conta de q fui dormir tarde na noite passada e tinha ido na academia quando minha mãe entra no meu quarto extremamente pistola e surtando dizendo que é impossível continuar desse jeito, que eu não faço absolutamente nada e q ou eu tô doente ou eu varei a noite falei q tava deitado pq tava cansado e tinha feito academia e talvez energia não gerasse tenta energia quanto ela dizia, aí ela mandou um " q energia Gustavo? Tu não faz nada aqui em casa, mal mal tu vai na academia 1vzs por semana" e foi embora
Fiquei muuuuuuuuito mal e pra baixo com esse comentário, contei resumidamente pra uma amiga minha e ela disse que seria uma boa eu sentar pra conversar com ela e ver se a gente não conseguia se resolver e foi isso que eu tentei, mas sinceramente acho que só piorou a situação.
Falei pra ela que achava q ela era extremamente inconsequente e impulsiva e que aquilo estava me incomodando pra Krl, disse pra ela que sentia q ela mão tava ligando nem um pouco pra q de o estresse que ela tava sentindo tristeza ela iria descontar em mim e q eu fazia o possível pra quando isso acontecia comigo não causar estresse pra ela. Disse também que eu não tô bem também e q ninguém tá bem mas q eu me preocupo com o bem estar dela e queria que ela fizesse o mesmo No começo ela até pareceu estar entendendo.
Ai ela começou "não dava pra ela parar de me estressar, pq o fato de você não ter um emprego incomoda profundamente e q sua energia me tira do sério e q o fato de você não fazer nada em casa tilta , também q você não fazia nada e q academia não podia ser considerado alguma coisa, já que você não ajudava na casa", falei q ela em nenhum momento me disse isso. Ela disse também que" nenhuma mina vai gostar de você pq você tem 19 anos e nunca trabalhou e nessa época de quarentena e não tô fazendo nada e q eu só vou ter um papo merda, por mais q eu tô triste pelo fim do relacionamento, " você já sabia que seus dois últimos relacionamentos não iriam dar certo e que já eram guerras anunciadas e mesmo todo mundo me falando que ia dar ruim eu ia e tentava, parecia que você queria bater de cara na parede, ent vai e bate a cara na parede e vê se você aprende alguma coisa, e em relação ao término, seu irmão também terminou com uma mina q tava 6 anos namorando, mas ele continua trabalhando, se for pensar assim era pra ele estar sofrendo bem mais que você. Você pode melhorar suas coisas fazendo terapia, eu não tenho essa opção a minha tá morta "
Mano, não tenho palavra does descrever o quanto que eu fiquei pistola e decepcionado, ela deixou bem claro q ela não tá nem aí pra saber o quanto que eu tô sofrendo e fica falando q ela tá em situação pior é a minha e dps teve a audácia de dizer que" filho, eu me importo muito com você, faço isso pq não sei oq mais fazer, mas tu sabe q eu faço isso só pra te ajudar né?" Falei q tinha minhas dúvidas e q N tinha mais nada pra falar com ela e ela foi dormir
Em pensar que eu tava deixando de cometer suicídio por causa dela.... Alguém q não tá ligando.. Enfim, provavelmente quando vocês lerem essa mensagem vou estar ou atualizando minha carta suicida ou dormindo, se tu leu até aqui, tu é um guerreiro por ter lido esse textão, um abraço
submitted by satanistboy to desabafos [link] [comments]


2020.09.29 17:05 Vedovati_Pisos Marketing Digital para Academias: Dicas para conquistar e fidelizar alunos

Com tantas opções de academias, fica realmente difícil se posicionar no mercado e atrair novos clientes. Neste post, trago algumas estratégias de Marketing Digital para conquistar e fidelizar clientes.
Os motivos pelo baixo número de matrículas ou pela desistência são muitos e seria impossível destacá-los um por um. No entanto, as estratégias que cito abaixo abordam as situações mais comuns que ocorrem nas academias.
Levando em consideração o fato que sua academia já possui uma boa estrutura, boa localização e de preferência um estacionamento – aprenda, no parking, no business (sem estacionamento, sem negócios) – vamos falar dos principais pontos a serem implementados para sua academia atrair e reter pessoas, pois nada adianta receber um grande número de matrículas e no outro mês perder metade dos alunos.
Digo boa estrutura, pois é o básico para dar suporte total aos alunos, a boa localização é um requisito importante, mas caso não seja um ponto forte, podemos contornar com uma boa estratégia de localização por meio da Internet, já o estacionamento é um plus que sua academia deve oferecer para facilitar a vida dos alunos.
Seja Encontrado (Conquistar)
Parece óbvio, mas muitos não fazem. Utilizar o Google como fonte de pesquisa é que o várias pessoas interessadas no seu negócio estão fazendo todo dia, toda hora, inclusive agora. São cerca de 16,5 milhões de pesquisas mensais relacionadas à ginástica, fitness, musculação, pilates etc. Se você não está inserido nesse meio, você está perdendo milhares de oportunidades. Então vamos ao que interessa.

Como ser encontrado?
Conteúdo
A Internet é fonte de informação e as pessoas buscam o tempo todo por respostas para suas dúvidas. Imagine quantas buscas existem sobre o tema “emagrecimento”. No site da sua academia, crie uma área para inserir conteúdo. Esta área funcionará como um blog, onde semanalmente ou diariamente, você irá fornecer informações relacionadas ao seu negócio. Aqui não há propaganda, não há venda, apenas informação.
Seu possível cliente quer informações e, quanto mais você der, maiores são as chances dele aderir ao seu negócio. O cliente precisa se sentir seguro da compra, por isso ele busca informações. Vamos a um exemplo. Uma pessoa está buscando um local para praticar exercícios físicos, então ela que saber qual o melhor esporte para ela, quantas horas ela deve praticar, entre outras questões. Neste momento ela não está buscando preços, nem equipamentos, ela quer informação. No momento que ela se sentir segura, ela vai até a academia e faz a matrícula. Não espere mais para ativar seu site e seja encontrado quando procurarem pelo seu negócio.
Tráfego
Compre tráfego. Indo direto ao assunto, esse é um ponto fundamental para ser encontrado pelo seu público. Procure por publicidade paga como Google Adwords e Facebook Ads, procure sites relacionados e compre espaço publicitário. Existem diversos sites que vendem tráfego, seja ele segmentado ou não. O tráfego segmentado é mais caro, mas acaba saindo um pouco mais caro.
Minha dica é, se sua academia já tem uma marca conhecida, vale a pena focar no tráfego segmentado (blogs e fóruns fitness), caso esteja dando os primeiros passos, tráfego indiferente (sites de download, de música, de filmes) pode ser uma boa opção. O Google Meu Negócio também é uma excelente ferramenta para ser encontrado e é gratuito. Lembra do ponto “localização” que falei no começo do artigo? O Google Meu Negócio vai te ajudar e muito.
Seja Diferente (Conquistar)
Primeira coisa, não se diferencie da concorrência pelo preço. Você deve ter muito mais a oferecer do que uma “pechincha”, o que pode até causar uma má impressão do seu negócio. Segundo, tenha um diferencial que seja realmente relevante para o seu público. De nada adianta super equipamentos, se não existem instrutores capacitados para guiar seus alunos. Tenha um diferencial claro e passe isso na hora de divulgar sua academia.
Tenha um Site Vendedor (Conquistar)
Agora que você já tem tráfego e possui um diferencial claro, vamos converter seus visitantes em clientes. Para aprofundar sobre o assunto Conversão é necessário um post completo que será produzido mais adiante, mas adianto pontos necessários para transformar seu site em um site vendedor.
Deixe clara a sua mensagem
Apesar do conteúdo que falamos anteriormente não citar preços e planos, seu site precisa deixar claro que por trás de toda a informação, existe uma empresa e que você vende algo, caso contrário o visitante sentirá enganado no momento que você tentar oferecer seu serviço.
Facilite o contato
Quem nunca entrou em um site e ficou perdido buscando telefone ou e-mail para contato? Por incrível que pareça, este é um erro comum do mundo digital. Para facilitar o contato do seu possível cliente, deixe fácil um telefone para contato ou um formulário de contato. Nada de formulário gigantes com nome, endereço, cpf, nada disso. Seja o mais simples possível no momento de colher os dados. Apenas o e-mail é essencial.
Guie seu visitante
Leve seu visitante até a parte principal do seu site, a área dos planos. A navegação deve ser fácil e seu site deve sempre levar o usuário à parte que mais lhe interessa. Quando o usuário entra no seu site ele quer saber de cara seu preço, para depois ver se compensa. Daí você tem 2 opções, mostrar o preço logo de início, fazendo o cliente optar se deve continuar ou não ou mostrar todas as vantagens do seu negócio através de um conteúdo detalhado e no final apresentar o preço ou até mesmo criar um vídeo, onde no final você vai apresentar seus planos. As duas formas são válidas e vão depender da forma que deseja trabalhar.
Crie um relacionamento (Fidelizar)
Outro ponto que parece óbvio, mas poucos fazem. Criar relacionamentos é difícil, muitas vezes por questões culturais do empreendedor. Vamos aos fatos, cliente entra na academia, você cria um bom relacionamento com ele, resultado: cliente satisfeito e fidelizado. Parece simples e realmente é, o problema é que poucos fazem. Por um lado isso é bom, pois agora você tem uma vantagem competitiva.
E como fazer para criar relacionamentos com seus clientes utilizando estratégias de marketing digital? A dica de ouro é: E-mail Marketing.
E-mail não está ultrapassado e sabendo fazer não será considerado Spam. Então, como fazer?
1 - Crie uma lista– No momento do cadastro peça o e-mail do aluno e faça uma planilha com todos matriculados
2 - Peça autorização para enviar e-mails– É aqui que você vai ter autorização ou não dos seus alunos para enviar conteúdo.
3 - Envie conteúdo interessante– Nada de enviar promoções e “panfletos digitais”. Isso é chato e pode ser visto como Spam. Escreva algo que realmente seja importante para o seu cliente. Dê dicas de alimentação, métodos de treino, melhores suplementos e mais uma infinidade de assuntos. Mas lembre, tenha bom senso e não envie e-mail diariamente. Um e-mail a cada 4 dias é o suficiente para manter seu aluno bem informado e satisfeito.
4 - Pergunte– Relacionamentos são diálogos e não monólogos, por isso peça a opinião e escute seus clientes. Envie e-mails com questionários curtos sobre melhorias na academia ou alguma pesquisa que esteja querendo fazer.
5 - Escute (Fidelizar)
Puxando o gancho no ponto anterior, escutar seus clientes é um fator importantíssimo para saber se você está fazendo certo ou errado. Já ouvi relatos de alunas que saíram da academia porque eram assediadas pelo professor. Pesado, mas acontece. A melhor maneira de descobrir isso é criando um formulário no seu site para reclamações e sugestões.
Você também pode implantar uma caixa de sugestões na sua academia, mas muitos veem como perda de tempo, pois acham que ninguém vai ler, por isso é seu dever deixar bem claro que faz parte dos valores da sua empresa levar a sério a opinião dos clientes.
Personalize (Fidelizar)
Esta dica é matadora e é aqui que iremos oferecer ao cliente exatamente o que ele necessita. Existem pessoas que frequentam a academia durante anos e nunca receberam um atendimento diferenciado e, por conta disso, recorrem a outra academia.
Mas na sua academia será diferente. Você DEVE tratar seus clientes de forma diferenciada, pois cada um tem um objetivo diferente. Existem várias formas de personalizar seu serviço, mas essa parte criativa vou deixar com você, vamos citar alguns pontos que você deve seguir.
• Cliente VIP– Todo mundo gosta de ser tratado de forma VIP, por isso crie um cadastro VIP para seus clientes especiais, aqueles que trazem mais retorno para o seu negócio. Os clientes VIP terão vantagens extras, como treinamento personalizado, dicas exclusivas, entre outros benefícios.
• Programa de Fidelidade– O programa deve ser muito mais do que um programa de descontos. Deve oferecer benefícios reais e que sejam de interesse do aluno.
Falamos aqui sobre alguns pontos cruciais para se ter sucesso no seu negócio e aumentar os lucros da sua academia. São coisas fáceis de serem implementadas e podem começar logo que você terminar de ler este artigo.

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/marketing-digital-para-academias/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]


2020.09.28 00:58 umalguemai Fracassei na vida!!

Bem vou começar falando um pouco de mim e minha jornada até o fracasso total e talvez suicídio... Eu sempre fui aquele "ovelha Negra" da família o mais levado, o mais bagunceiro, o mais engraçado, porém eu sempre tentei ser o oposto do que me chamavam se você me chamasse de engraçado eu logo tentaria ficar sério... Além disso dos três irmãos eu só o do meio, sempre fui considerado muito bonito (sem querer me achar) chamado pra ser modelo diversas vezes.. porém eu tenho um defeito desgraçado que talvez nunca tenha percebido quanto isso me ferra e ferrou minha vida.. se chama "baixa autoestima" mesmo sendo com tais características, com isso fui praticar esporte comecei com karatê Fiquei 2 meses e fui pro judô gostava pra caramba porém a vergonha e dificuldade de me relacionar com os outros praticante me fizeram abandonar esses três anos , sai de lá e pouco fiz questão (um dos motivos era que eu tinha vergonha, me sentia fraco e humilhado) talvez eu fosse um covarde no final das contas, então comecei a praticar calistenia... Fui longe até demais.. em 2 anos já era destaque, porém eu fui muito burro e esqueci das lesões (tive 5) sendo uma que foi no meu quadril(desgaste do fêmur) e virou crônica acabando com todos meus sonhos e me deixando em uma depressão (tenho 19 anos) meu irmão faz faculdade e eu ferrei todos os meus sonhos por querer *malhar" e achar que dou conta das coisas sozinho agora minha mãe chora, pois eu vi o quanto eu desperdicei os momentos bons da minha vida as vezes eu acho que sou um vigoretico (viciado em treino) mas minha mãe me deu TDS oportunidade que um filho pode ter mesmo não sendo rico e eu com minha burrice e ignorância ferrei tudo, eu não sou muito inteligente talvez eu fosse disciplinado mas a depressão tira isso de você ... Aliás na época da escola eu era cheio de garotas atrás de min mas a vergonha desgraçada nunca me deixou namorar e eu focava em outra coisa, era considerado "legal" que teria um futuro brilhante... hoje mesmo podendo nem quero pois não vejo perspectiva no futuro eu me sinto muito burro pois conseguir me lesionar tanto que hoje manco as vezes, e olha que eu era o cara que corria 10km..., tentei cortar os pulsos e minha mãe viu (pior coisa fui ver minha triste, Acho que doeu mais que o corte), sla.. as vezes Acho que caguei minha vida, além disso a garota que estou comigo desde a 4° série e que conheci agora deixei de falar com ela por conta da depressão me tornei um estranho pois prometia que teríamos muita coisa pela frente e agora me sinto um fracasso total sem intelecto, sem físico, sem relacionamento eu queria morrer, meus "amigos" sumiram...
submitted by umalguemai to desabafos [link] [comments]


2020.09.25 09:44 CodeCanto Como está o mercado de trabalho para engenharia de controle e automação no Brasil? Alunos de universidades federais tem alguma vantagem pelo “nome” da mesma ou é só balela do povo? Ps: conseguir emprego sem ajuda de peixes, só com o estágio obrigatório...

Gostaria de saber a verdadeira situação no Brasil, atualmente faço engenharia ABI numa federal e provavelmente optarei por controle e automação ou eletrônica, porém, estou de olho em engenharia de software por gostar da área de programação e desenvolvimento de softwares, sistemas e apps, e por ser uma das profissões do futuro, estou pensando seriamente em trancar o curso de 5 anos na federal presencial para cursar engenharia de software no formato EAD em 4 anos em uma particular como a Infnet, por exemplo. Moro em Pernambuco. Vale a pena ficar 5 anos se matando pra estudar pra ver se arruma emprego nessa área da engenharia no Brasil?
Minha situação: classe média quase baixa, menos de 500 conto na poupança, 21 anos, dependente dos pais, enorme força de vontade pra sair dessa dependência, introvertido (poucos contatos), gostaria de trabalhar em casa conciliando com meus estudos(não quero esperar 5 anos estudando que nem doido e ver se arrumo um emprego pra começar a ter dinheiro no bolso) tenho visão de ser empreendedor e não ser empregado. Porém, preciso ser empregado antes pra juntar capital e abrir empresa. Porque não tenho dinheiro nem pra morrer. Tenho feito cursos de marketing digital e vi que o mercado digital é próspero e ainda é considerado novo aqui no Brasil. Pelo que observei, fazer engenharia de software ou cursos de programação web, me ajudaria bastante caso eu entrasse de cabeça no mercado digital, criando softwares para ajudar pessoas da área. E até abrindo um tipo de agência digital.
-Outra pergunta: Pra ir trabalhar no exterior, qual dessas engenharias que citei tem maior probabilidade de conseguir emprego?
-O que você faria na minha situação? Continuaria na graduação na federal e depois faria uma pós em engenharia de software, ou partiria logo pra engenharia de software e já aplicaria o que aprendeu no mercado digital com alguns projetos como empreendimento inicial?
Ps: Nunca tive sonho de ser engenheiro, ou ser o cara de alguma profissão, apenas quero ter uma estabilidade financeira que me proporcione certa liberdade, melhorar a vida dos meus pais pra que vivam o resto de suas vidas com o mínimo de preocupação possível. Apesar de não estar morrendo de fome e ter um teto, nesse último ano, fiquei com isso na cabeça, não tenho carro, nem moto, nem uma bicicleta. Sou um otario com muita força de vontade e inteligência, sem recursos financeiros e dependente dos pais. Evito até de ter relacionamento sério por ser dependente de outros e não só de mim.
-Alguém mais se identifica? Qualquer coisa diz aí pra eu saber que não sou o único “otário” daqui...
submitted by CodeCanto to u/CodeCanto [link] [comments]


2020.08.07 16:38 Soliturio Mindhunter

Uma bela série que trata a psicologia bem, mas puta que pátio, aquele maluco mais novo que é um Virjao ser considerado Sherlock Holmes ??
E de fude isso, o parceiro dele é muito mais cabeça mas fica queto e não se impõe nessa porra.
Sério, to terminando a primeira temporada ainda, mas aquele virjao com seu relacionamento bosta me dá nos nervos.
Quarentena não tem muito assunto com outras pessoas vim desabafar dessa serie
submitted by Soliturio to desabafos [link] [comments]


2020.06.14 21:59 StandoPowa_ Continuo sem nunca ter tido uma relação verdadeiramente íntima

23 anos e as únicas experiências amorosas que tive foram com algumas garotas do Tinder que saíram comigo e depois fingiram que nunca tinham me conhecido.
Sempre sonhei em ter uma namorada, alguém pra dizer que é verdadeiramente minha companheira, sabe? Me considero uma pessoa romântica, mas de que adianta, se nunca de fato pratiquei isso?
Vejo as pessoas da minha família com a minha idade já de aliança, ou com filhos. Claro, eu não preciso arcar com um monte de complicação de um relacionamento sério, mas... Deve ser legal ter alguém fixo. Alguém... "Real".
Me sinto deslocado e envergonhado quando meu pai me olha com aquele olhar de decepção por nunca ter me visto com ninguém. Por nunca ter apresentado ninguém pra minha família; devem pensar que sou gay (o que não é um problema, mas eu não sou), ou que eu sou um desgraçado anti-social. Doeu ouvir meu pai falando pra um parente que provavelmente o filho mais velho dele vai viver pra sempre na casa onde cresceu.
Trabalho, ajudo muito em minha casa; sou considerado uma pessoa madura. Mas me falta tanta intimidade e amor real de alguém que não consigo me sentir um adulto completo.
Enquanto isso, meu primo recém divorciado que ganha um salário mínimo já arrumou uma nova noiva muito linda e que adora ele. E eu só no shuffling das mesmas garotas de perfil "bora tomar um litrao, se pegar e depois nunca mais conversar".
O que mais falta na minha vida é amor - e uma intimidade real. Não consegui o que realmente desejo no Tinder, mas graças a sua existência pelo menos eu não sou um padre.
E é com toda essa introspecção que eu passo meu domingo - invejando, mas sempre desejando o melhor, aqueles que tem tão fácil o que eu nunca consegui.
Resumindo de forma bem tosca: só queria uma namoradinha kkkkkkkkkkkkk
submitted by StandoPowa_ to desabafos [link] [comments]


2020.04.10 18:01 notPlancha Pornografia

Teoria vinda das vozes da minha cabeça : Pornografia. Querendo ou não todos nós já vimos pornô em determinados momentos de nossas vidas, propositalmente ou não, com menos frequência ou frequentemente (André), mas no final das contas a indústria pornô está presente em nossas vidas e na vida da maioria dos seres humanos, mas não como algo pequeno com efeitos mínimos, mas sim algo de proporções colossais que interferem diretamente e indiretamente na vida de todos, e no meu ponto de vista, está e sempre causou mais danos diretos e indiretos para todos nós. Vamos começar pelo início, não sou contra a indústria pornô e muito menos quero forçar com que isso termine, pois sou liberal e não me interesso em controlar a vida de outros e muito menos quero ser controlado por terceiros, por isso se quer dar a bundinha, dá para quem quiser, filmando ou não, não estou nem aí, mas como sou um ser humano falho e me importo com as pessoas, principalmente um pouco mais com as mulheres do que com os homens (- sou mais feminista do que as próprias feministas...), sendo assim, vamos analisar um pouco os efeitos negativos que a indústria pornô causa contra as mulheres em sí (-antes de continuar, quero deixar claro que qualquer mulher que apoia a indústria pornô está se diminuindo e objetificando perante aos meus olhos...), a própria essência do pornô é machista, ou seja : uma mulher que está vendendo o seu corpo (-objeto de compra/posse ) e o homem que está a comprar esse objeto (- ter posse sobre ela ), logo já podemos perceber a superioridade que é implementada intrinsecamente para o ser masculinos e a objetificação que é colocada na mulher. E não vamos ser falsos moralistas e hipócritas, a quantidade que homens consomem pornô é enormemente superior e sem comparação para com as mulheres e até mesmo na maior parte dos vídeos que as mulheres estão " dominando " os homens, é apenas um fetiche que o próprio homem possui e o seu objeto (- a mulher ) está apenas a cumprir com as suas ordens, logo é apenas um fetiche de feminização que é usada de maneira (-pejorativa) contra a própria mulher no pornô, porque o homem está sendo tratado e representado com uma mulher (-objeto). Bom, já dito isso, claro que podem pensar que vídeo pornô é apenas um vídeo de entretenimento para públicos alvos (- específicos ) e que não refletem na vida real, perdão, mas quem pensa assim está longe de estar certo, vamos novamente desde o início, já sabendo que o pornô objetifica a mulher sexualmente perante a compreensão e visão masculina, isso causa efeitos diretos no nosso comportamento humano/animal (- sim somos animais ), mas esses comportamentos eram claramente visíveis e desmoderados na década de 80/90 onde na maior parte dos países o teatro/cinema sexual era algo completamente " normal " para os padrões daquela sociedade, se via nas entradas e nos posters desses teatros/cinemas sexuais fotos de mulheres consideradas atraentes para a maior parte dos homens, ou seja, uma sistematização de padrão (- uma preferência específica de corpo ideal ), vale ressaltar que no marketing era uma mulher (- ou varias mulheres ) a tal mulher ideal que era apresentada e não um cara que era considerado gostoso e com um enorme pênis, outro ponto importante é que o pornô em sí, desde antigamente nunca foi sobre fazer a mulher gozar ou sentir prazer (- apenas em certos casos, mas já chego lá ), mas sim para fazer o homem gozar e sentir prazer, ou seja, o pornô tinha/tem como intenção agradar o seu público alvo, logo a maior parte das posições e intensidades era apenas para dar prazer e satisfações para os homens também quererem fazer isso com principalmente prostitutas, porque como já mencionado varias vezes, elas são o objeto que irá lhe fazer tudo o que desejas, apenas por dinheiro em troca (- que leva também a outro ponto que envolve o dinheiro, pois logo que o dinheiro comprava até " não prostitutas ", isso criou apenas uma guerra para ter mais e mais dinheiro para poder se aproveitar mais e mais dessa necessidade.., maass isso já seria mais um tema que provavelmente ninguém iria ligar, pois provavelmente ninguém vai ler isso a sério até o fim...) e as boas feministas estavam lá, porque elas sabiam os efeitos que isso causava e que seria prejudicial para as mulheres, um tempo onde as feministas sabiam o que era moral e quais problemas a indústria pornô causava contra a moralidade feminina, aliás elas lutavam até contra a própria relativização que hoje apoiam, pois as mesmas sabiam que se as mulheres fossem relativizadas aos olhos de uma sociedade machista/patriarcal, elas nunca receberiam respeito adequada por serem seres humanos, mas sim o contrário, seriam vistas apenas como objetos sexuais de compra, bons tempos em que as feministas não se importavam em sair com os peitos a mostra por " igualdade ", porque as mesmas saberiam os efeitos contrários que isso traria...., mas também é outro assunto, mas isso só demonstra como vivemos em uma sociedade doente que coloca os seus desejos carnais acima de qualquer coisa. Bom, desejos carnais, vamos falar dos homens agora, conseguimos tantas conquistas (- homens/mulheres ), mas se somos realmente animais racionais e se sentimentos são reais, por que caralhos os homens colocam e arriscam tudo que possuem apenas para sentir uma sensação boa em seus orgãos sexuais, mas vamos com calma, primeiramente aos pobres, sim, esses mesmos que trabalham em part time ou full time que pagam uma miséria por exaustivas horas de trabalho, por que gastam o seu merecido e honroso dinheiro com pessoas que simplesmente não contribuem para nada além de um vício continuo de masturbação em massa que mais afetas homens do que mulheres (- nem vou entrar no ponto do aproveitamento das mulheres perante isso, nem vale a pena ), assim horas e horas perdidas, apenas para pagar pack de nudes de randons " fofinhas " da internet para se satisfazer com isso (- só troxa mesmo e o pior que isso existe em uma abundância enorme...) ou para poucos momentos de sexo com prostitutas, pois provavelmente são precoces e possuem uma pequena pilinha e já que não querem ser julgados por suas inseguranças sexuais, que nessa sociedade que preza mais no tamanho de pila e tempo de sexo do que valores éticos e morais, pelo simples fato de sentimentos carnais ou em palavras simples, ser humano sendo animal. Também temos homens casado/namorados que colocam seu relacionamento, fortunas, filhos em risco, apenas para ter um ápice de prazer por uns 6 - 12 segundos, puta merda que raiva, btw mulher também fazem isso MAS EM QUANTIDADES INSIGINIFICATIVAS (- nem vou colocar o fato de certo tipo de mulheres que nem valem a pena serem mencionadas, estou falando de pessoas simplesmente normais ), tanto conhecimento, tanto trabalho, tanta dedicação, tanto esforço, tanto sofrimento e tanto de tudo apenas para ficar se masturbando/comendo mulheres e outros, apostando tudo em apenas um prazer que sente na porra do pau, que raiva dessa merda, um dos pilares principais dessa merda de de sociedade é sexo (- e dinheiro/status ), como que as pessoas simplesmente ignoram tudo que já conquistamos para apenas pensar em objetos e prazeres carnais. Aliás digo mais, nas escolas para vocês, porque é o local mais próximo que pode se presenciar isso praticamente todos os dias, desde o quinto ano e até mais para baixo até o décimo segundo e em diante, os meninos são mastubadores compulsivos, " bla bla menina tbm faz ", sim, claro, (- ainda mais por causa da sexualização infantíl e bla bla ), mas sobre as meninas, nem chega próximo se quer a quantidade de braços direitos musculosos (André ) que estão presentes nas salas de aula, pode ter certeza que até se a menina mais " feia " (- considerado pela sociedade ) fosse oferecer foda, a maioria iria simplesmente falar que sim sem pensar se quer em qualquer merda, apenas para enfiar o seu pinto em uma vagina repetidamente sem para e para chegar ao seu ápice por alguns segundos, a maior parte dos relacionamentos nas escolas é currículo de foda, os meninos se vangloriam-se pela quantidades de beijos e fodas e quanto mais popular e " bonita " menina (-gaja k ) é, mais glória eles acumulam e tudo isso é simplesmente pelo fato da sexualização precosse que a indústria pornô causa em todos.
submitted by notPlancha to PastaPortuguesa [link] [comments]


2020.01.01 21:40 thepotatobrother "Luto" de uma mãe narcisista

Well, vou colar uma parte de um outro desabafo que escrevi para entenderem o contexto:
"Hola! Então, meu sentimento com minha mãe sempre foi uma incógnita: do tipo que me dá um desconforto extremo em abraçar, não sinto bem em dizer "eu te amo", sabe? Essas coisas de carinho que a gente é ensinado para repassar aos pais. O problema começa no final da infância, fui abusado sexualmente na escola por outros coleguinhas, falei com minha mãe sobre isso na época, ela não se importou muito apesar de falar com a diretora, apesar de estar profundamente abalado, várias vezes ouvi um "não liga para isso, é só vc ignorar que eles não enchem teu saco". Grupinhos me enchiam de porrada, era considerado o mais feio da escola, tentei conversar mas sempre tive essa distância. Cada vez mais comecei a ficar revoltado com tudo, não queria mais obedecer meus pais porque minha mente estava sempre sobrecarregada, sem contar as brincadeiras de mau gosto que eu aturava do tipo: "vou dar injeção letal em você, assim vc acalma sua rebeldia" ou "nossa, você parece um bebezinho chorando assim crises de depressão, vou te levar para o hospício pq vc deve ser louco". Na adolescência lidava direto com meus pais brigando, pq ficavam se traindo o tempo todo.
Chegou um ponto da minha vida que não aguentei mais, 16 anos comecei a estudar feito louco, passei em 3 universidades públicas e me mandei da capital de SP e fui para quase fronteira do Uruguay viver. Me formei, porém o RS tá quebrado em vários aspectos básicos: saúde, educação, lazer...voltei para SP. Nosso relacionamento estava até que "ok" na distância, fora o fato que ela (faz um ano), me procurou pra desabafar e receber conselhos pq quer se separar do meu pai. É aí que começou os problemas novos de agora.
Ela disse que estava emocionalmente sufocada, não aguentava mais viver com meu pai pois ele é controlador (na verdade tem uma baixa auto estima terrível e não aceita coisas diferentes do que ele pensa). Ela me ajudou no contrato em um apê para a gente dividir o aluguel, topei tbm para ela n ficar na mesma casa que meu pai, disse que não aguentava mais trabalhar com ele (eles tem uma loja de autopeças juntos), falei para ela sair, indiquei 3 empregos e não foi atrás. Disse que o emocional está abalado, fui atrás de psico preço popular para ela, não foi atrás. Minha mãe não aceita também ouvir coisas diretas, recentemente ela disse que estava cansada de fazer comida, mas ELA NÃO PRECISA fazer comida para mim, sei fazer comida boa e saudável, ela simplesmente não quer que eu faça minha própria comida, fala que "não preciso ficar nervoso, faço pq eu quero" mas pq reclama, Jesus? Meu pai me chamou para ajudar nas pendências da loja por causa da separação, eu me concentrando em assuntos sérios de vendas, do nada ela quer brigar de lutinha comigo, me cutucando todo segundo e querer fazer cócegas, essa de me cutucar me irrita em um nível alto com qualquer pessoa me fazendo isso, falei de boa com ela: "olha, eu tenho limites, não quero que vc faz isso" e simplesmente não me ouviu, começou a brigar que sou um mal humorado e começou a dizer que somente eu faço tais "crueldades" com ela, que estou ficando igual um tio ranzinza meu (que tbm eh cheio dos problemas psicológicos) começou a falar para meu pai me "amansar" pq estou sendo muito frio (ele ficou quieto na hora e sim...ela decidiu continuar trabalhando com ele), chegou um hora que fui irônico e falei: "nossa, coitada de vc, já pensou em vazar daqui?" E deixei chorando sozinha pq real, percebi que era chantagem emocional e isso não cola pra mim. "
Atualização: Chegou em um ponto que precisei falar no telefone pra ela: "ou você se trata no psicólogo, ou te expulso daqui". Ela ficou quieta, não quis dizer nada. Mas depois lembrei que ela me ajuda no aluguel e falei "vc pode ficar aqui, é tudo seu, eu vou para um albergue temporário longe de vc". Ela insistiu em dizer que fico colocando coisa na minha cabeça sobre ela, que tem vergonha de dizer para a família as coisas que faço com ela, mas continuei não ligando e firme no que falei. Gritou comigo dizendo "vc não aprendeu nada com budismo, é um ingrato, te dei tudo e vc faz isso comigo". Ela decidiu não vir para o apê, preferiu morar na sobreloja da firma. Minha consciência tá tranquila pq foi escolha dela isso no final das contas, e ela podia ficar em local mais confortável sozinha. Estou recebendo dinheiro na empresa deles para pagar minhas despesas e dinheiro para cirurgia que vou fazer, pelo SUS demoraria no mínimo dois anos para fila de espera...e agora estou no processo de entender que por mais que me esforce, minha mãe não será aquele desejo que todo filho tem de ter uma companheira do seu lado, alguém empático e tudo mais, ela não vai deixar de me culpar por tudo e entender meu lado, depressão e ansiedade, que não é brincadeira essas coisas. Estou no processo de cortar esse vínculo. Passei ano novo com meu pai somente, não conversei mais com ela, só dou "bom dia" de respeito na loja e nada mais. Uma boa parte desse peso de trauma de infância me tirou das costas, agora é lidar com essa dor de ter a pessoa que me gerou por perto, mas não de fato uma mãe.
Obrigado a vc que teve paciência para ler meu texto.
submitted by thepotatobrother to brasil [link] [comments]


2019.12.19 05:38 mererey Eu quero me tornar a pessoa que acham que eu sou, mas não consigo

Em 2020 vou fazer 20 anos, entrei na universidade ano passado, e me mudei para uma cidade no interior de São Paulo, mas volto todo mês pra cidade onde morava, e durante as férias fico com minha família.
Tenho amigos, e essa semana eu saí com 8 deles (os de ensino médio, alguns que conheço há mais de 10 anos). Nós conversamos sobre a faculdade, e essas coisas, mas chegou em um momento em que começaram a falar de relacionamentos amorosos. Nesse assunto, eles começaram a tentar adivinhar como era a minha vida amorosa, já que não costumo conversar muito com eles por WhatsApp. Queriam saber se tinha alguém que eu estava ficando sério, se eu estava transando muito. Eles não tinham dúvida que eu ESTAVA pegando algumas pessoas, e que também já havia transado. Apesar de ser considerado baixo (+- 1,70; faz muito tempo desde a última vez que medi), muitas pessoas que conheço falam que eu sou bonito (apesar de eu me ver bem na média).
O problema é: eles estavam todos errados. Eu nunca fiquei com ninguém. Eu nunca transei. Nenhuma mulher chega em mim, e eu não consigo chegar em ninguém. Tenho medo de incomodar. Ela está com as amigas? Não quero atrapalhar a diversão. Ela está sozinha? Não quero parecer um predador. Óbvio, fora a vergonha que sinto em chegar em alguém.
As únicas oportunidades reais que já surgiram pra mim foram de ficar com homens. Eles são os únicos que chegam em mim, e apesar da atitude deles me deixar feliz, eu não sinto atração nenhuma. Já pensei em ficar com algum homem só pra poder falar “huh, pelo menos não sou mais bv”, mas não consigo. Só de pensar em ficar com alguém que eu sequer sinto atração só por isso me deixa um pouco triste, e até um pouco irritado comigo mesmo.
Minha família é toda extrovertida: meu irmão, meu pai, minha mãe. Sempre perguntam “e aí, ficou com alguém?” E a resposta sempre era a mesma: não. Mas de tanto perguntarem, digo que não importa. Não aguento mais sempre responder que não. Já falei pra pararem, que me incomoda, mas não param. Não fico bravo, mas é um pouco incômodo.
Só de pensar em chegar em alguém, sinto meu rosto ficar vermelho, minhas mãos suarem (e elas já suam MUITO naturalmente), me sinto tremer. Não acho que conseguiria fazer alguém querer ficar comigo só pela conversa. Mas mesmo que conseguisse, e o beijo? Como eu nunca beijei alguém antes, muito provavelmente seria horrível para os dois.
Eu me sinto mal, as únicas oportunidades que vejo são em festas, que não acontecem sempre. Não sei em que outro lugar eu encontraria alguma pessoa disposta a ficar com alguém. Baixei tinder, e ao longo do ano consegui mais de 200 matches, mas ainda assim nunca saí com alguém de lá. Eu não sei flertar. Nao consigo manter ninguém interessado nas conversas. Não sei puxar assunto, tampouco sei quando é a hora de chamar pra se encontrar. Sempre que chamo, a pessoa não quer sair, mas eu não culpo, já que eu também não iria querer sair com alguém que conheci na internet. Não reconheço sinais, e não consigo transmiti-los. Sou lerdo. De forma curta, além de festas e do tinder, não sei onde encontraria pessoas abertas a ficar com estranhos. Amigos de amigos não são uma opção, já que o círculo de amigos com quem eu saio já são as únicas pessoas que nós (os mais próximos) saímos nessa cidade. Voltamos durante as férias, mas cada um mora em uma cidade diferente.
Sinceramente, eu nunca vivi uma vida que fosse como a deles, de haverem muitos dramas, partirem os corações, terem os corações partidos. Pelo menos disso eu não tenho do que reclamar.
Obrigado por ler até aqui o meu desabafo. Não é tão ruim quanto a maioria dos que aparecem aqui, mas acho que eu precisava colocar pra fora.
Tl;dr: meus amigos acham que eu sou tão transante quantos eles. Não sou.
submitted by mererey to desabafos [link] [comments]


2019.07.18 19:18 altovaliriano O Clube das Senhoras Mortas

Link: https://bit.ly/2JFSJ6B
Autor: Lauren (autodescrita como "dona de pre-gameofthrones e asoiafuniversity")

“Senhoras morrem ao dar à luz. Ninguém canta canções sobre elas.”
O Clube das Senhoras Mortas é um termo que eu inventei por volta de 2012 para descrever o Panteão de personagens femininas subdesenvolvidas em ASOIAF a partir da geração anterior ao início da história.
É um termo que carrega críticas inerentes a ASOIAF, que esta postagem irá abordar, em um ensaio dividido em nove partes. A primeira, segunda e a terceira parte deste ensaio definem o termo em detalhes. As seções subsequentes examinam como essas mulheres foram descritas e por que este aspecto de ASOIAF merece críticas, explorando a permeabilidade da trope das mães mortas na ficção, o uso excessivo de violência sexual ao descrever estas mulheres e as diferenças da representação do sacrifício masculino versus o sacrifício feminino na narrativa de GRRM.
Para concluir, eu afirmo que a maneira como estas mulheres foram descritas mina a tese de GRRM, e ASOIAF – uma série que eu considero como sendo uma das maiores obras de fantasia moderna – fica mais pobre por causa disso.
*~*~*~*~
PARTE I: O QUE É O CLUBE DAS SENHORAS MORTAS [the Dead Ladies Club]?
Abaixo está uma lista das mulheres que eu pessoalmente incluo no Clube das Senhoras Mortas [ou simplesmente CSM]. Esta lista é flexível, mas é geralmente sobre quem as pessoas estão falando quando falam sobre o CSM [DLC, no original]:
  1. Lyanna Stark
  2. Elia Martell
  3. Ashara Dayne
  4. Rhaella Targaryen
  5. Joanna Lannister
  6. Cassana Estermont
  7. Tysha
  8. Lyarra Stark
  9. A Princesa Sem Nome de Dorne (mãe de Doran, Elia, e Oberyn)
  10. Mãe sem Nome de Brienne
  11. Minisa Whent-Tully
  12. Bethany Ryswell-Bolton
  13. EDIT – A Esposa do Moleiro - GRRM nunca deu nome a ela, porém ela foi estuprada por Roose Bolton e deu à luz a Ramsay
  14. Eu posso estar esquecendo alguém.
A maioria do CSM é composta de mães, mortas antes de a série começar. Deliberadamente, eu uso a palavra "panteão" quando estou descrevendo o CSM, porque, como os deuses da mitologia antiga, estas mulheres normalmente exercem grande influência ao longo da vida de nossos atuais POVs e sua deificação é em grande parte o problema. As mulheres do CSM tendem a ser fortemente romantizadas ou fortemente vilanizadas pelo texto; ou em um pedestal ou de joelhos, para parafrasear Margaret Attwood. As mulheres do CSM são descritas por GRRM como pouco mais do que fantasias masculinas e tropes batidos, definidas quase que exclusivamente por sua beleza e magnetismo (ou falta disso). Elas não têm qualquer voz própria. Muitas vezes elas sequer têm nome. Elas são frequentemente vítimas de violência sexual. Elas são apresentadas com pouca ou nenhuma escolha em suas histórias, algo que eu considero como sendo um lapso particularmente notório quando GRRM diz que são nossas escolhas que nos definem.
O espaço da narrativa que é dado a sua humanidade e sua interioridade (sua vida interior, seus pensamentos e sentimentos, à sua existência como indivíduos) é mínimo ou inexistente, que é uma grande vergonha em uma série que foi feita para celebrar a nossa humanidade comum. Como posso ter fé na tese de ASOIAF, que as vidas das pessoas "tem significado, não sua morte", quando GRRM criou um círculo de mulheres cujo principal, se não único propósito, era morrer?
Eu restringi o Clube das Senhoras Mortas às mulheres de até duas gerações atrás porque a Senhora em questão deve ter alguma conexão imediata com um personagem POV ou um personagem de segundo escalão. Essas mulheres tendem a ser de importância imediata para um personagem POV (mães, avós, etc.), ou no máximo elas estão a um personagem de distância de um personagem POV na história principal (AGOT - ADWD +).
Exemplo #1: Dany (POV) – > Rhaella Targaryen
Exemplo #2: Davos (POV) – > Stannis – > Cassana Estermont
*~*~*~*~
PARTE II: "E AGORA, DIGA O NOME DELA."
Lyanna Stark, "linda e voluntariosa, e morta antes do tempo". Sabemos pouco sobre Lyanna além de quantos homens a desejaram. Uma figura tipo Helena de Troia, um continente inteiro de homens lutou e morreu porque "Rhaegar amou sua Senhora Lyanna". Ele a amava o suficiente para trancá-la em uma torre, onde ela deu à luz e morreu. Mas quem era ela? Como ela se sentiu sobre qualquer um desses eventos? O que ela queria? Quais eram suas esperanças, seus sonhos? Sobre isto, GRRM permanece em silêncio.
Elia Martell, "gentil e inteligente, com um coração manso e uma sagacidade doce." Apresentada na narrativa como uma mãe e uma irmã morta, uma esposa deficiente que não poderia dar à luz a mais filhos, ela é definida unicamente por suas relações com vários homens, com nenhuma história própria além de seu estupro e assassinato.
Ashara Dayne, a donzela na torre, a mãe de uma filha natimorta, a bela suicida, não temos quaisquer detalhes de sua personalidade, somente que ela foi desejada por Barristan o Ousado e Brandon ou Ned Stark (ou talvez ambos).
Rhaella Targaryen, Rainha dos Sete Reinos por mais de 20 anos. Sabemos que Aerys abusou e estuprou para conceber Daenerys. Sabemos que ela sofreu muitos abortos. Mas o que sabemos sobre ela? O que ela achou do desejo de Aerys de fazer florescer os desertos dorneses? O que ela passou fazendo durante 20 anos quando não estava sendo abusada? Como ela se sentiu quando Aerys mudou a corte de Rochedo Casterly por quase um ano? Não temos respostas para qualquer uma dessas perguntas. Yandel escreveu todo um livro de história de ASOIAF fornecendo muitas informações sobre as personalidades e peculiaridades e medos e desejos de homens como Aerys e Tywin e Rhaegar, então eu conheço quem são esses homens de uma forma que não conheço as mulheres no cânone. Não acho que seja razoável que GRRM deixe a humanidade de Rhaella praticamente em branco quando ele teve todo O Mundo de Gelo e Fogo para detalhar sobre personagens anteriores a saga, e ele poderia facilmente ter escrito uma pequena nota lateral sobre a Rainha Rhaella. Temos uma porção de diários e cartas e coisas sobre os pensamentos e sentimentos de rainhas medievais do mundo real, então por que Yandel (e GRRM) não nos informaram um pouco mais sobre a última rainha Targaryen nos Sete Reinos? Por que nós não temos uma ilustração de Rhaella em TWOIAF?
Joanna Lannister, desejada por ambos um Rei e um Mão do Rei e feita sofrer por isso, ela morreu dando à luz Tyrion. Sabemos do "amor que havia entre" Tywin e Joanna, mas detalhes sobre ela são raros e distantes. Em relação a muitas destas mulheres, as escassas linhas no texto sobre elas deixam frequentemente o leitor a perguntar, "bem, o que exatamente isso que dizer?". O que exatamente significa que Lyanna fosse voluntariosa? O que exatamente significa que Rhaella fosse consciente de seu dever? Joanna não é exceção, com a provocativa (ainda que frustrantemente vaga) observação de GRRM de que Joanna "governava" Tywin em casa. Joanna é meramente um esboço grosseiro no texto, como um reflexo obscuro.
Cassana Estermont. Honestamente eu tentei recordar uma citação sobre Cassana e percebi que não houve qualquer uma. Ela é um amor afogado, a esposa morta, a mãe morta, e não sabemos de mais nada.
Tysha, uma adolescente que foi salva de estupradores, apenas para sofrer estupro coletivo por ordem de Tywin Lannister. O paradeiro dela tornou-se algo como um talismã para Tyrion em ADWD, como se encontrá-la fosse libertá-lo da longa e negra sombra de seu pai morto, mas fora a violência sexual que ela sofreu, não sabemos mais nada sobre essa garota humilde exceto que ela amava um menino considerado pela sociedade westerosi como indigno de ser amado.
Quanto a Lyarra, Minisa, Bethany e as demais, sabemos pouco mais que seus nomes, suas gravidezes e suas mortes, e de algumas não temos sequer nomes.
Eu por vezes incluo Lynesse Hightower e Alannys Greyjoy como membras honorárias, apesar de que, obviamente, elas não estejam mortas.
Eu disse acima que as mulheres do CSM ou são postas em um pedestal ou colocadas de joelhos. Lynesse Hightower se encaixa em ambos os casos: foi-nos apresentada por Jorah como uma história de amor saída direto das canções, e vilanizada como a mulher que deixou Jorah para ser uma concubina em Lys. Nas palavras de Jorah, ele odeia Lynesse, quase tanto quanto a ama. A história de Lynesse é definida por uma porção de tropes batidas; ela é a “Stunningly Beautiful” “Uptown Girl” / “Rich Bitch” “Distracted by the Luxury” até ela perceber que Jorah é “Unable to support a wife”. (Todos estes são explicados no tv tropes se você quiser ler mais.) Lynesse é basicamente uma encarnação da trope gold digger sem qualquer profundidade, sem qualquer subversão, sem aprofundar muito em Lynesse como pessoa. Mesmo que ela ainda esteja viva, mesmo que muitas pessoas ainda vivas conheçam-na e sejam capazes de nos dizer sobre ela como pessoa, elas não o fazem.
Alannys Greyjoy eu inclui pessoalmente no Clube das Senhoras Mortas porque sua personagem se resume a uma “Mother’s Madness” com pouco mais sobre ela, mesmo que, novamente, não esteja morta.
Quando eu incluo Lynesse e Alannys, cada região nos Sete Reinos de GRRM fica com pelo menos uma do CSM. Foi uma coisa que se sobressaiu para mim quando eu estava lendo pela primeira vez – quão distribuídas estão as mães mortas e mulheres descartadas de GRRM, não é só em uma Casa, está em todos os lugares da obra de GRRM.
E quando digo "em toda a obra do GRRM," eu quero dizer em todos os lugares. Mães mortas em segundo plano (normalmente no parto) antes de a história começar é um trope que GRRM usa ao longo de sua carreira, em Sonho Febril, Dreamsongs e Armageddon Rag e em seus roteiros para TV. Demonstra falta de imaginação e preguiça, para dizer o mínimo.
*~*~*~*~
PARTE III: QUEM NÃO SÃO ELAS?
Mulheres históricas e mortas há muito tempo, como Visenya Targaryen, não estão incluídas no Clube das Senhoras Mortas. Por que, você pergunta?
Se você for até o americano comum na rua, provavelmente será capaz de lhe dizer algo sobre a mãe, a avó, a tia ou alguma outra mulher em suas vidas que seja importante para eles, e você pode ter uma ideia sobre quem eram essas mulheres como pessoas. Mas o americano médio provavelmente não poderá contar muito sobre Martha Washington, que viveu séculos atrás. (Se você não é americano, substitua “Martha Washington” pelo nome da mãe de uma figura política importante que viveu há 300 anos. Sou americana, então este é o exemplo que estou usando. Além disso, eu já posso ouvir os nerds da história protestando - sente-se, você está nitidamente acima da média.).
Da mesma forma, o westerosi médio deve (misoginia à parte) geralmente ser capaz de lhe dizer algo sobre as mulheres importantes em suas vidas. Na história da vida de nosso mundo, reis, senhores e outros nobres compartilharam ou preservaram informações sobre suas esposas, mães, irmãs e outras mulheres, apesar de terem vivido em sociedades medievais extremamente misóginas.
Então, não estou falando “Ah, meus deus, uma mulher morreu, fiquem revoltados”. Não é isso.
Eu geralmente limito o CSM às mulheres que morreram recentemente na história westerosi e que tiveram suas humanidades negadas de uma maneira que seus contemporâneos do sexo masculino não tiveram.
*~*~*~*~
PARTE IV: POR QUE ISSO IMPORTA?
O Clube da Senhoras Mortas é formado por mulheres de até duas gerações passadas, sobre as quais devemos saber mais, mas não sabemos. Nós sabemos pouco mais além de que elas tiveram filhos e morreram. Eu não conheço essas mulheres, exceto através do fandom transformativo. Eu conheci muito sobre os personagens masculinos pré-série no texto, mas cânone não me dá quase nada sobre essas mulheres.
Para copiar de outra postagem minha sobre essa questão, é como se as Senhoras Mortas existissem na narrativa do GRRM apenas para serem abusadas, estupradas, parir e morrer para mais tarde terem seus semblantes imutáveis moldados em pedra e serem colocadas em pedestais para serem idealizadas. As mulheres do Clube das Senhoras Mortas não têm a mesma caracterização e evolução dos personagens masculinos pré-série.
Pense em Jaime, que, embora não seja um personagem pré-série, é um ótimo exemplo de como o GRRM pode usar a caracterização para brincar com seus leitores. Começamos vendo Jaime como um babaca que empurra crianças de janelas (e não me entenda mal, ele ainda é um babaca que empurra crianças para fora das janelas), mas ele também é muito mais do que isso. Nossa percepção como leitores muda e entendemos que Jaime é bastante complexo, multicamadas e cinza.
Quanto a personagens masculinos mortos pré-série, GRRM ainda consegue fazer coisas interessantes com suas histórias, e transmitir seus desejos, e brincar com as percepções dos leitores. Rhaegar é um excelente exemplo. Os leitores vão da versão de Robert da história, de que Rhaegar era um supervilão sádico, à ideia de que o que quer que tenha acontecido entre Rhaegar e Lyanna não foi tão simples como Robert acreditava, e alguns fãs progrediam ainda mais para essa ideia de que Rhaegar era fortemente motivado por profecias.
Mas nós não temos esse tipo de desenvolvimento de personagens com as Senhoras Mortas. Por exemplo, Elia existe na narrativa para ser estuprada e morrer, e para motivar os desejos de Doran por justiça e vingança, um símbolo da causa dornesa, um lembrete da narrativa de que são os inocentes que mais sofrem no jogo dos tronos. . Mas nós não sabemos quem ela era como pessoa. Nós não sabemos o que ela queria na vida, como ela se sentia, com o que ela sonhava.
Nós não temos caracterização do CSM, nós não temos mudanças na percepção, mal conseguimos qualquer coisa quando se trata dessas mulheres. GRRM não escreve personagens femininas pré-série da mesma maneira que ele escreve personagens masculinos pré-série. Essas mulheres não recebem espaço na narrativa da mesma forma que seus contemporâneos masculinos.
Pensa na Princesa Sem Nome de Dorne, mãe de Doran, Elia e Oberyn. Ela era a única governante feminina de um reino enquanto a geração Rebelião de Robert estava surgindo, e ela também é a única líder de uma grande Casa durante esse período cujo nome não temos.
O Norte? Governado por Rickard Stark. As Terras Fluviais? Governadas por Hoster Tully. As Ilhas de Ferro? Governadas por Quellon Greyjoy. O Vale? Governado por Jon Arryn. As Terras Ocidentais? Governadas por Tywin Lannister. As Terras da Tempestade? Steffon, e depois Robert Baratheon. A Campina? Mace Tyrell. Mas e Dorne? Apenas uma mulher sem nome, ops, quem diabos liga, quem liga, por se importar com um nome, quem precisa de um, não é como se nomes importassem em ASOIAF, né? *sarcasmo*
Não nos deram o nome dela nem em O Mundo de Gelo e Fogo, ainda que a Princesa Sem Nome tenha sido mencionada lá. E essa falta de um nome é muito limitante - é tão difícil discutir a política de um governante e avaliar suas decisões quando o governante nem sequer tem um nome.
Para falar mais sobre o anonimato das mulheres... Tysha não conseguiu um nome até o A Fúria dos Reis. Apesar de terem sido mencionadas nos apêndices do livro 1, nem Joanna nem Rhaella foram nomeadas dentro da história até o A Tormenta de Espadas. A mãe de Ned Stark não tinha um nome até surgir a árvore genealógica no apêndice da TWOIAF. E quando a Princesa Sem Nome de Dorne conseguirá um nome? Quando?
Quando penso nisso, não posso deixar de pensar nesta citação: "Ela odiava o anonimato das mulheres nas histórias, como se elas vivessem e morressem só para que os homens pudessem ter sacadas metafísicas." Muitas vezes essas mulheres existem para promover os personagens masculinos, de uma forma que não se aplica a homens como Rhaegar ou Aerys.
Eu não acho que GRRM esteja deixando de fora ou atrasando esses nomes de propósito. Eu não acho que GRRM está fazendo nada disso deliberadamente. O Clube das Mulheres Mortas, em minha opinião, é o resultado da indiferença, não de maldade.
Mas esses tipos de descuidos, como a princesa de Dorne, que não têm nome, são, em minha opinião, indicativos de uma tendência muito maior - GRRM recusa dar espaço a essas mulheres mortas na narrativa, ao mesmo tempo em que proporciona espaço significativo aos personagens masculinos mortos ou anteriores à série. Esta questão, em minha opinião, é importante para a teoria espacial feminista - ou as maneiras pelas quais as mulheres habitam ou ocupam o espaço (ou são impedidas de fazê-lo). Algumas acadêmicas feministas argumentam que mesmo os “lugares” ou “espaços” conceituais (como uma narrativa ou uma história) influenciam o poder político, a cultura e a experiência social das pessoas. Essa discussão provavelmente está além do escopo desta postagem, mas basicamente argumenta-se que as mulheres e meninas são socializadas para ocupar menos espaço do que os homens em seus arredores. Assim, quando o GRRM recusa o espaço narrativo para as mulheres pré-série de uma forma que ele não faz para os homens pré-série, sinto que ele está jogando a favor de tropes misóginas ao invés de subvertê-las.
*~*~*~*~
PARTE V: A MORTE DA MÃE
Dado que muitas dos CSM (embora não todas) eram mães, e que muitas morreram no parto, eu quero examinar este fenômeno com mais detalhes, e discutir o que significa para o Clube das Senhoras Mortas.
A cultura popular tende a priorizar a paternidade, marginalizando a maternidade. (Veja a longa história de mães mortas ou ausentes da Disney, storytelling que é meramente uma continuação de uma tradição de conto de fadas muito mais antiga da “aniquilação simbólica” da figura materna.) As plateias são socializadas para ver as mães como “dispensáveis”, enquanto pais são “insubstituíveis”:
Isto é alcançado não apenas removendo a mãe da narrativa e minando sua atividade materna, mas também mostrando obsessivamente sua morte, repetidas vezes. […] A morte da mãe é invocada repetidamente como uma necessidade romântica [...] assim parece ser um reflexo na cultura visual popular matar a mãe. [x]
Para mim, a existência do Clube das Senhoras Mortas está perpetuando a tendência de desvalorizar a maternidade, e ao contrário de tantas outras coisas sobre o ASOIAF, não é original, não é subversivo e não é boa escrita.
Pense em Lyarra Stark. Nas próprias palavras de GRRM, quando perguntado sobre quem era a mãe de Ned Stark e como ela morreu, ele nos diz laconicamente: “Senhora Stark. Ela morreu”. Não sabemos nada sobre Lyarra Stark, além de que ela se casou com seu primo Rickard, deu à luz quatro filhos e morreu durante ou após o nascimento de Benjen. É outro exemplo de indiferença casual e desconsideração do GRRM para com essas mulheres, e isso é muito decepcionante vindo de um autor que é, em diversos aspectos, tão incrível. Se GRRM pode imaginar um mundo tão rico e variado como Westeros, por que é tão comum que quando se trata de parentes femininos de seus personagens, tudo o que GRRM pode imaginar é que eles sofrem e morrem?
Agora, você pode estar dizendo, “morrer no parto é apenas algo que acontece com as mulheres, então qual é o grande problema?”. Claro, as mulheres morriam no parto na Idade Média em percentuais alarmantes. Suponhamos que a medicina westerosi se aproxime da medicina medieval - mesmo se fizermos essa suposição, a taxa em que essas mulheres estão morrendo no parto em Westeros é excessivamente alta em comparação com a verdadeira Idade Média, estatisticamente falando. Mas aqui vai a rasteira: a medicina de Westerosi não é medieval. A medicina de Westerosi é melhor do que a medicina medieval. Parafraseando meu amigo @alamutjones, Westeros tem uma medicina melhor do que a medieval, mas pior do que os resultados medievais quando se trata de mulheres. GRRM está colocando interferindo na balança aqui. E isso demonstra preguiça.
Morte no parto é, por definição, um óbito muito pertencente a um gênero. E é assim que GRRM define essas mulheres - elas deram à luz e elas morreram, e nada mais sobre elas é importante para ele. ("Senhora Stark. Ela morreu.") Claro, há algumas pequenas minúcias que podemos reunir sobre essas mulheres se apertarmos os olhos. Lyanna foi chamada de voluntariosa, e ela teve algum tipo de relacionamento com Rhaegar Targaryen que o júri ainda está na expectativa de conhecer, mas seu consentimento foi duvidoso na melhor das hipóteses. Joanna estava felizmente casada, e ela foi desejada por Aerys Targaryen, e ela pode ou não ter sido estuprada. Rhaella foi definitivamente estuprada para conceber Daenerys, que ela morreu dando à luz.
Por que essas mulheres têm um tratamento de gênero? Por que tantas mães morreram no parto em ASOIAF? Os pais não tendem a ter mortes motivadas por seu gênero em Westeros, então por que a causa da morte não é mais variada para as mulheres?
E por que tantas mulheres em ASOIAF são definidas por sua ausência, como buracos negros, como um espaço negativo na narrativa?
O mesmo não pode ser dito de tantos pais em ASOIAF. Considere Cersei, Jaime e Tyrion, mas cujo pai é uma figura divina em suas vidas, tanto antes como depois de sua morte. Mesmo morto, Tywin ainda governa a vida de seus filhos.
É a relação entre pai e filho (Randyll Tarly, Selwyn Tarth, Rickard Stark, Hoster Tully, etc.) que GRR dá tanto peso em relação ao relacionamento da mãe, com notáveis exceções encontradas em Catelyn Stark e Cersei Lannister. (Embora com Cersei, acho que poderia ser arguir que GRRM não está subvertendo nada - ele está jogando no lado negro da maternidade, e a ideia de que as mães prejudicam seus filhos com sua presença - que é basicamente o outro lado da trope da mãe morta - mas esta postagem já está com um tamanho absurdo e eu não vou entrar nisso aqui.)
*~*~*~*~
PARTE VI: O CSM E VIOLÊNCIA SEXUAL
Apesar de suas alegações de verossimilhança histórica, GRRM fez Westeros mais misógino do que a verdadeira Idade Média. Tendo em conta que detalhes sobre violência sexual são as principais informações que temos sobre o CSM, por que é necessária tanta violência sexual?
Eu discuto esta questão em profundidade na minha tag #rape culture in Westeros, mas acho que merece ser tocado aqui, pelo menos brevemente.
Garotas como Tysha são definidas pela violência sexual pela qual passaram. Sabemos sobre o estupro coletivo de Tysha no livro 1, mas sequer aprendemos seu nome até o livro 2. Muitas do CSM são vítimas de violência sexual, com pouca ou nenhuma atenção dada a como essa violência as afetou pessoalmente. Mais atenção é dada a como a violência sexual afetou os homens em suas vidas. Com cada novo assédio sexual que Joanna sofreu em razão de Aerys, sabemos que por meio de O Mundo de Gelo e Fogo que Tywin rachou um pouco mais, mas como Joanna se sentiu? Sabemos que Rhaella havia sido abusada a ponto de parecer que uma fera a atacara, e sabemos que Jaime se sentia extremamente conflituoso por causa de seus juramentos da Guarda Real, mas como Rhaella se sentia quando seu agressor era seu irmão-marido? Sabemos mais sobre o abuso que essas mulheres sofreram do que sobre as próprias mulheres. A narrativa objetifica, ao invés de humanizar, o CSM.
Por que os personagens messiânicos de GRRM têm que ser concebidos por meio de estupro? A figura materna sendo estuprada e sacrificada em prol do messias/herói é uma trope de fantasia velha e batida, e GRRM faz isso não uma vez, mas duas (ou possivelmente três) vezes. Sério, GRRM? Sério? GRRM não precisa depender de mães estupradas e mortas como parte de sua história trágica pré-fabricada. GRRM pode fazer melhor que isso, e ele deveria. (Mais debates na minha tag #gender in ASOIAF.)
*~*~*~*~
PARTE VII: SACRIFÍCIO MASCULINO, SACRIFÍCIO FEMININO E ESCOLHA
Agora, você pode estar se perguntando: "É normal que os personagens masculinos se sacrifiquem, então por que as mulheres não podem se sacrificar em prol do messias? O sacrifício feminino não é subversivo?”
Sacrifício masculino e sacrifício feminino muitas vezes não são os mesmos na cultura popular. Para resumir - os homens se sacrificam, enquanto as mulheres são sacrificadas.
As mulheres que morrem no parto para dar à luz o messias não são a mesma coisa que os personagens masculinos fazendo uma última grande investida com armas em punho para dar ao Herói Messiânico a chance de Fazer A Coisa. Os personagens masculinos que se vão com armas fumegantes em mãos escolhem esse destino; é o resultado final da sua caracterização fazer isso. Pense em Syrio Forel. Ele escolhe se sacrificar para salvar um dos nossos protagonistas.
Mas mulheres como Lyanna, Rhaella e Joanna não tiveram uma escolha, não tiveram nenhum grande momento de vitória existencial que fosse a ápice de seus personagens; eles apenas morreram. Elas sangraram, elas adoeceram, elas foram assassinados - elas-apenas-morreram. Não havia grande escolha para se sacrificar em favor de salvar o mundo, não havia opção de recusar o sacrifício, não havia escolha alguma.
E isso é fundamental. É isso que está no coração de todas as histórias do GRRM: escolha. Como eu disse aqui,
“Escolha […]. Esta é a diferença entre bem e mal, você sabe disso. Agora parece que sou eu que tenho que fazer uma escolha” (Sonho Febril). Nas palavras do próprio GRRM, “Isso é algo que se vê bem em meus livros: Eu acredito em grandes personagens. Todos nós somente capazes de fazer grandes coisas, e de fazer coisas ruins. Nós temos os anjos e os demônios dentro de nós, e nossas vidas são uma sucessão de escolhas.” São as escolhas que machucam, as escolhas em que o bom e o mal são sopesados – essas são as escolhas em que “o coração humano [está] em conflito consigo mesmo”, o que GRRM considera “a única coisa que vale a pena escrever sobre”.
Homens como Aerys, Rhaegar e Tywin fazem escolhas em ASOIAF; mulheres como Rhaella não têm nenhuma escolha na narrativa.
GRRM acha que não vale a pena escrever sobre as histórias do Clube das Senhoras Mortas? Não houve nenhum momento na mente do GRRM em que Rhaella, Elia ou Ashara se sentiram em conflito em seus corações, em nenhum momento eles sentiram suas lealdades divididas? Como Lynesse se sentiu escolhendo concubinato? E sobre Tysha, que amou um garoto Lannister, mas sofreu estupro coletivo nas mãos da Casa Lannister? Como ela se sentiu?
Seria muito diferente se soubéssemos sobre as escolhas que Lyanna, Rhaella e Elia fizeram. (O Fandom frequentemente especula sobre se, por exemplo, Lyanna escolheu ir com Rhaegar, mas o texto permanece em silêncio sobre este assunto mesmo em A Dança dos Dragões. GRRM permanece em silêncio sobre as escolhas dessas mulheres.)
Seria diferente se o GRRM explorasse seus corações em conflito, mas não ficamos sabendo de nada sobre isso. Seria subversivo se essas mulheres escolhessem ativamente se sacrificar, mas não o fizeram.
Dany provavelmente está sendo criada como uma mulher que ativamente escolhe se sacrificar para salvar o mundo, e acho isso subversivo, um esforço valoroso e louvável da parte da GRRM lidar com essa dicotomia entre o sacrifício masculino e o sacrifício feminino. Mas eu não acho que isso compensa todas essas mulheres mortas sacrificadas no parto sem escolha.
*~*~*~*~
PARTE VIII: CONCLUSÕES
Espero que este post sirva como uma definição funcional do Clube das Senhoras Mortas, um termo que, pelo menos para mim, carrega muitas críticas ao modo como a GRRM lida com essas personagens femininas. O termo engloba a falta de voz dessas mulheres, o abuso excessivo e fortemente ligado ao gênero que sofreram e sua falta de caracterização e arbítrio.
GRRM chama seus personagens de seus filhos. Eu me sinto como essas mulheres mortas - as mães, as esposas, as irmãs - eu sinto como se essas mulheres fossem crianças natimortas de GRRM, sem nada a não ser um nome em uma certidão de nascimento, e muito potencial perdido, e um buraco onde já houve um coração na história de outra pessoa. Desde os meus primeiros dias no tumblr, eu queria dar voz a essas mulheres sem voz. Muitas vezes elas foram esquecidas, e eu não queria que elas fossem.
Porque se elas fossem esquecidas - se tudo o que havia para elas era morrer - como eu poderia acreditar em ASOIAF?
Como posso acreditar que “a vida dos homens tem significado, não sua morte” se GRRM criou este grupo de mulheres meramente para ser sacrificado? Sacrificado por profecia, ou pela dor de outra pessoa, ou simplesmente pela tragédia em tudo isso?
Como posso acreditar em todas as coisas que a ASOIAF representa? Eu sei que GRRM faz um ótimo trabalho com Sansa, Arya e Dany e todos os outros POVs femininos, e eu o admiro por isso.
Mas quando a ASOIAF pergunta, “o que é a vida de um garoto bastardo perante um reino?” Qual é o valor de uma vida, quando comparada a tanta coisa? E Davos responde, suavemente, “Tudo”… Quando ASOIAF diz que… quando a ASOIAF diz que uma vida vale tudo, como as pessoas podem me dizer que essas mulheres não importam?
Como posso acreditar em ASOIAF como uma celebração à humanidade, quando a GRRM desumaniza e objetifica essas mulheres?
O tratamento dessas mulheres enfraquece a tese central da ASOIAF, e não precisava ser assim. GRRM é melhor do que isso. Ele pode fazer melhor.
Eu quero estar errada sobre tudo isso. Eu quero que GRRM nos conte em Os Ventos do Inverno tudo sobre as escolhas de Lyanna, e eu quero aprender o nome da Princesa Sem Nome, e eu quero saber que três mulheres não foram estupradas para cumprir uma profecia da GRRM. Eu quero que GRRM sopre vida dentro delas, porque eu o considero o melhor escritor de fantasia vivo.
Mas eu não sei se ele fará isso. O melhor que posso dizer é eu quero acreditar.
[...]
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2018.09.16 13:17 matedetoni A história de um homem que sobreviveu a 64

Olá a todos do Brasil. Sou brasileiro, natural de Juiz de Fora (MG) e vim aqui hoje compartilhar com vocês uma história real de uma pessoa real. Mas antes de contar a história desse homem, vou contextualizar o porquê de eu estar fazendo isso agora.
Como todos sabem, teremos eleições presidenciais em 2018. Os ânimos do país estão acirrados e, seguindo a tendência global contemporânea, os debates tem incluído novos fatores e dinâmicas, muitos deles envolvendo fake news e o revisionismo histórico. A polarização Esquerda x Direita, unida aos argumentos usados por ambos os lados e ao protagonismo de candidatos adeptos ao militarismo, tem relativizado momentos sérios da história do nosso país e levado muitas vezes ao revisionismo histórico, um fenômeno deplorável para quem considerada abordar o passado da humanidade de forma honesta.
Muitos de vocês, como eu, devem pertencer a uma faixa etária de entre 15 e 35 anos, e não tiveram como experienciar a Era da Ditadura Militar no Brasil, que se estendeu de 1964 até 1985. Muitos formadores de opinião e candidatos, hoje, defendem que não houve Ditadura alguma e que os governos dessa época foram legítimos e democráticos. Ouvir isso de figuras públicas me fere como cidadão brasileiro defensor da democracia, mas também me atinge pessoalmente pelo convívio que tive com pessoas pertencentes a famílias que sofreram em primeira mão com o governo dos militares.
Não venho aqui defender voto em nenhum candidato - até porque, por razões pessoais, não poderei votar este ano. Também não venho aqui dar aula de História pra ninguém. Meu objetivo é contar a história de uma pessoa que teve parte da vida destruída pelo autoritarismo, e como isso afetou a ela e aos seus familiares. Não será uma história famosa, como foi a dos artistas exilados. É apenas uma pessoa comum. Mas é uma pessoa real.
No período de 2010 até o início deste ano de 2018, eu estive um relacionamento amoroso com uma mulher, também nascida em Juiz de Fora. A pessoa cuja história eu exponho aqui era o avô materno dessa ex-namorada. Não posso citar os nomes de nenhum dos envolvidos, pois pretendo preservar a memória deste homem e as identidades de sua família. Também não estou usando o meu próprio nome, pois estamos na internet e o tempo é de ódio. Espero que compreendam.
A história que reconstruo aqui vem de relatos da minha ex-namorada, sua mãe (filha do protagonista) e sua avó materna (viúva do dito cujo).
José Procópio (nome fictício) era um adulto trabalhador em 1964. Nascido em Juiz de Fora, uma das mais proeminentes cidades de Minas Gerais, ele tinha um emprego como bancário em um dos bancos particulares da cidade. Casara-se jovem com Ana Procópio, com quem possuía duas filhas; a mais velha, Helena, de 8 anos e a mais nova, Carmem, de 7. A vida do casal atravessava dificuldades, uma vez que a filha caçula tinha nascido com lábio leporino, e os gastos com cirurgias (pouco eficientes na época), unidos a um salário abaixo do legalmente permitido, levara a problemas financeiros.
Ana, dona-de-casa, realizava trabalhos auxiliares como costureira para auxiliar o pagamento das contas. José, sem a perspectiva de um emprego que pagasse melhor - e, em verdade, uma pessoa que amava o que fazia - passa a se envolver com o movimento sindical dos bancários. Importante lembrar; os sindicatos eram movimentos legalizados desde o governo de Getúlio Vargas, e a luta por um salário digno era, além de legal, uma causa cuja justiça é inquestionável.
José, carismático e com um forte senso de justiça, ganhou proeminência no movimento e liderava algumas das greves e negociações do sindicato. A luta pela dignidade salarial prometia um futuro mais brilhante para sua família. E talvez isso viesse a acontecer, se não fosse por 31 de março de 1964, quando o General Olympio Mourão Filho deflagrou o início do golpe militar, na própria cidade de Juiz de Fora.
O que contam é que a primeira leva de presos políticos saiu também da própria cidade, junto com alguns do Rio de Janeiro. Líderes dos partidos políticos de esquerda, sindicalistas e apoiadores de João Goulart foram os primeiros alvos. Foi nessa leva que levaram José.
A Polícia bateu na porta da casa da família Procópio pouco depois do Golpe. Não houveram agressões, mas tampouco houve tempo para despedida. Anunciaram que José Procópio estava sob investigação por apoiar a causa comunista. Levaram-no dali mesmo.
O que aconteceu, a partir daí, é incerto. Anos depois, José relutava em contar os acontecimentos para as filhas e para a neta. Especulam que a viúva saiba de boa parte do ocorrido, mas ela nega saber ou se recusa a falar. O pouco que a filha - Carmem - ouviu conta que ele foi levado na carroceria de um caminhão escuro, abarrotado de outros presos, cheirando a urina e fezes, numa viagem que durou três dias. Foram jogados numa prisão precária, que ficava em lugar remoto; especulam que no Centro-Oeste ou Norte do Brasil. Não se sabe que tipo de tortura, se houve alguma, se passou com José.
A família sofreu com vistorias frequentes da Polícia Militar juizforana, que acreditava que a esposa de José tinha contatos com membros do Partido Comunista. Pressionaram-na a sair da cidade, o que ela fez, levando as duas filhas para o estado do Rio de Janeiro. Ana fazia o possível para sustentar as filhas com o parco salário de costureira, tendo que depender das precárias instituições públicas da cidade onde moravam para garantir saúde e educação às meninas. Hoje, adultas, todas as três afirmam que tinham o telefone grampeado mesmo após mudarem-se, e que conseguiam identificar o fato através de um clique característico quando a linha telefônica "dava conexão", assim como ocasionais ruídos de um terceiro interlocutor.
Após aproximadamente 8 anos vivendo em condições pobres, Ana finalmente conseguiu um contato dentro do Exército - um primo distante, ou parente de um familiar de tal grau. Esse personagem era Coronel da Polícia Militar de Minas Gerais, e, através de negociatas e conversas das quais nenhuma das três conhece os detalhes, conseguiram arranjar que José fosse devolvido à família.
José retornou do encarceramento com uma perna quebrada, várias cicatrizes e diabetes tipo 2. Eventualmente, retornaram para Juiz de Fora, onde viveram uma vida discreta e evitaram a atenção das autoridades. Apesar de todos os problemas, José e Ana adotaram uma terceira filha, que era a oitava de uma família miserável de conhecidos que moravam numa cidadezinha vizinha a Juiz de Fora. Toda a desgraça passada por eles não tinham drenado a ternura e caridade da família.
Com o fim da ditadura em 85, José se filiou ao MDB - então a única oposição presente ao ARENA, partido situacionista. Passou o restante da sua vida trabalhando como bancário e envolvido com a política, pois tomara como causa pessoal a defesa da democracia e da liberdade. Apesar da lamentável situação atual do MDB, é importante lembrar do papel histórico do partido na redemocratização do Brasil (além de ser considerado por alguns, nos anos 80-90, detentor de um dos prefeitos mais competentes da cidade de Juiz de Fora).
A família de José Procópio conseguiu, após anos de luta jurídica, compensação legal pela prisão política. José Procópio faleceu em 2009, com a saúde debilitada, mas é descrito como um homem "tranquilo e feliz". A família ainda lida com a dor de sua perda, e as dores que lhe foram infligidas em vida.
José Procópio não é seu nome verdadeiro, mas ele é uma pessoa real. Eu conheci sua viúva, suas filhas e suas netas. Eu vi de perto o que um governo autoritário pode fazer. Rogo a todos vocês, senão pela democracia, por todas as vítimas como os Procópio. Não neguem a pretérita existência de uma ditadura militar no nosso país. Não neguem a dor dessas pessoas. Quando isso é feito, a dor volta em dobro.
Dias melhores virão.
submitted by matedetoni to brasil [link] [comments]


2018.05.19 15:38 rodrigoablima Livro: Alfa e Ômega - Uma Aventura nas Profundezas da Divindade Humana

CAPÍTULO 1 - A FUNDAÇÃO
Há incontáveis eras, um grupo de anciões, vitoriosos de batalhas anteriores, decidiram criar uma nova existência, pois se esgotaram as possibilidades e o mundo se tornou previsivelmente insuportável e tedioso. Além disso, em sua sabedoria acreditavam que, como antes, seria necessária uma renovação, bem como o desapego, aos resquícios e memórias do passado. A estes senhores, de nomes impronunciáveis com nossas gargantas primitivas, chamaremos de Arcontes da Alma, os famigerados Pais Arquetípicos, conhecidos na mitologia judaica como Elohim. Dentre estes senhores havia um que se destacava, por seu amor e justiça, sendo a expressão exata do Elevado, aquele que conheceu a primeira criação de todas as criações. Valente guerreiro e pai amoroso. O Verbo e Senhor dos vinte quatro Arcontes.
Sentados, em seus tronos, conversavam e planejavam os eventos que seriam vividos na nova origem. O lugar onde estavam era de beleza única e com uma atmosfera de poder e glória jamais imaginada por mortais, como eu e você. Um lugar que assusta e atemoriza qualquer criatura, impondo respeito aos seres das alturas, ou dos mais baixos abismos.
Todavia existia um lugar de maior significado e peso, um lugar inviolável, o santíssimo lugar, a morada do Eterno. Apenas o Pai e Filho do Verbo poderia adentrar neste ambiente e o fazia somente em ocasiões únicas, em importância e necessidade. Ali residia o Misterium Tremendum que nenhuma criatura ou Elohi poderia conhecer e compreender em sua plenitude, apenas o Elevado e seu unigênito comungavam daquele lugar. Uma casa, uma casa de carne, pois diziam que era o cordis ou o útero da criação.
Um enigma foi proposto, por um dos arcontes para servir como busca e sentido à nova existência, entretanto por mais que se esforçassem não conseguiam encaixar as peças, neste quebra cabeça cósmico, para dar sentido real, sabor e abundância de vida aos novos entes.
O Verbo teve que intervir, pois todos haviam percebido que fazia se propício ao Unigênito entrar na câmara santíssima e ali, diante da Presença Eterna conversar com o Inefável, em busca de algo que pudesse trazer abundância de vida aos neófitos.
Então, os enviados serventes da recamara do rei receberam ordens para preparar e purificar o átrio do templo célico, e assim o fizeram. Estes servos, os homens chamam de anjos, mas nada mais são que seres enviados para uma missão especial. Um destes Gadreel, que em hebraico pode ser escrito como ?????, também conhecido como Azazel, é a origem de muito conflito e debate. Certamente seu real título, princípio e incepção estão envoltos em mentiras e sombras. Nenhum mortal, e até mesmo seres imortais, podem afirmar com certeza sobre algo que teve o embuste como razão de ser, embora nada passa despercebido e impune pelo Eterno.
Enquanto realizava os preparos para consagração dos átrios e vestíbulos reais sua atenção foi desperta por uma pedra vermelha, um seixo de jaspe carmesim usado nas vestes sacerdotais pelo Verbo. Quero deixar claro que muito do que acontece aqui não poderia ser descrito com linguagem e palavras humanas se respeitada sua exatidão. O certo é que o que foi me passado e permitido lhe exponho da melhor forma que minhas mãos escrevem e minha mente concebe, por isso faço uso alegórico, dos eventos agora relatados, pois sem os quais jamais poderia escrever. Por isso, creia no conteúdo e não na forma, como conselho, prezado amigo, haja sempre assim, na vida, geralmente o contorno é enganoso embora a essência liberte. Se não fizeres isto, de um jeito ou de outro, aprenderás que as palavras nada dizem, todavia o que fazemos com elas sim.
Então, possuído de cobiça, apeteceu possuí-la, pois conhecia o propósito e sabia que facultaria habilidade de abrir portais e poder sobre as trevas, corrupção e mal, se usada sem consentimento e vontade do Verbo, pois em seu coração deixou entrar a dúvida sobre a bondade divina. Sem muito pensar, tomou-a para si, colocando outra de sárdio, semelhante em forma, em seu lugar. Leitor cabe aqui lembrar, que o ocorrido, apesar de não aprazer a Aquele que É, foi planificado por Ele antes de todas as Eternidades, nas eras ocultas em Deus e no Cordeiro (O primevo Æion, Kairós do Ego e do Ser) e quando terminar tu verás que falo a verdade.
Neste momento, um Mal Antigo foi desperto, transformando interior deste anjo, que agora chamaremos de Inferno, עזאזל em hebraico, pois como narrado antes, se mal-usado o Jaspe Carmesim, que simboliza o sangue do Cordeiro, porque quem o toma e usa, o faz para sua própria condenação, se não empregar o discernimento por meio Daquele que é o alimento da alma. Uma porta foi aberta e o Inferno a habita e é habitado por ele, o Filho da Perdição.
Que fique claro que o erro deste grigori não foi possuir a pedra, mas ser ladrão de algo que é livre a todo aquele que pedir ao Pneuma. O erro é a escravidão do espírito, pelo ego, que não se é refreado pelo Verbo. Neste momento, o horror primevo, entrou no corrompido anjo guardião dos aposentos reais.
Uma terrível tristeza abateu sobre o Verbo. Podia-se ver claramente no semblante do Cordeiro que algo muito sério o afligia. Porém, Ele sabia que era anseio do Eterno e conhecia muito bem os desígnios do coração de Deus. O Eterno, também estava aflito e pesaroso, pois isso não era de sua vontade ativa, mas permissiva.
Tudo foi preparado para o momento. E o Cristo entrou no santuário onde até os anjos temem ir. Ele vestia a indumentária sacerdotal completa. A Estola Sacerdotal ou Éfode uma peça parecida com um avental, confeccionada nas cores azul, púrpura, carmesim e o branco de linho fino retorcido. Sobre o Éfode um peitoral com as doze pedras, que representam os fundamentos que sustentam toda criação. Na cintura partindo do umbigo uma espécie de cordão de prata ligava as vestes ao cubo, o cubo de Metatron, uma máquina que permitia a entrada no santíssimo lugar, e assim, entrar em contado direto com o Arché. Arché é a substância primordial, constituinte de toda matéria do universo. Na verdade, Arché é um número que quando em execução conjunta com o cubo de Metatron possibilita a entrada no console fundamental que fornece uma interface para a criação da realidade. Uma vez conectado a máquina a realidade percebida pelo sumo sacerdote é mudada e este pode entrar no módulo de construção, uma espécie de programa de computador que funciona como um ambiente integrado que facilita a criação de realidades extraídas da lógica do número (ou programa) que inspira a vida.
Permita-me amigo explicar-lhe melhor o que é o Arché, também conhecido como unidade divina. Ele não é apenas um número qualquer, mas o padrão da perfeição, uma seqüência harmoniosa que encerra dentro de si todas as criações possíveis. Embora bastante próximo de Deus o Arché não é Deus. Podemos dizer que Deus é pleno quando o Verbo, a Lógica e a Materialidade trabalham em prol do sentido existencial, o tempero da vida, o Amor. O ator do Verbo é o Cordeiro, o ator da Lógica é o Arché e a Matéria é fruto da máquina de Metatron. Embora não percebamos todas as vezes, os três são e estão em Um e são vistos em plenitude no homem, mais corretamente no Filho do Homem e neste, sempre trabalham em Amor, afinal Deus é Amor!
Após todos os preparativos realizados então o Verbo adentra o santíssimo lugar. Imediatamente sua fisionomia se transforma. O módulo arquiteto estava carregado e o link foi estabelecido. Todo poder criativo de Deus estava ao dispor do Verbo, assim como, uma via de largura de fluxo inesgotável fornecia a comunicação direta entre Pai e Filho. Amigo, você deve estar perguntando por que essa conexão se fez necessária, visto que Pai e Filho são um, posso citar vários motivos, mas dois se destacam.
O primeiro é que nem sempre o Filho quer e precisa de todo poder criativo divino, há momentos que isso não se faz necessário nem desejável, lembre-se que o Filho nunca usou poder desnecessariamente. Ele nunca precisou de pirotecnia para mostrar sua identidade, poder e glória.
O segundo é que Ele, sempre quis se comportar como humano, deixe me explicar com um exemplo. Um alpinista poderia escalar uma montanha com um equipamento que facilitasse ao extremo a conquista do cume da montanha, podendo se quisesse subir até lá de helicóptero. No entanto que graça teria isso? E lembre-se a chave da vida está na graça. A graça é o Amor, divinamente humano e pessoal, em Movimento. Sem movimento, não há graça. Sem isso a vida se torna o “Trabalho de Sísifo”. Vazia, oca, sem sentido e niilista. O Verbo vivo deseja que a criação se pareça com a história arquetípica dando forma, beleza e sabor em abundância. A limitação torna as coisas mais interessantes. Embora haja sacrifícios e sofrimento, ao final, quando o montanhista tem a magnífica visão do fruto de seu esforço ele diz, valeu a pena!
Há uma terceira razão, também importante, mas em momento propício, querido neófito, lhe revelarei. Por agora basta dizer que nem todos têm fé a ponto de mover montanhas e nem só o Verbo pode usar a máquina de Metatron, mas só ele pode ir ao Aleph Santíssimo e compreender o mistério e causa da Vida.
Depois de tudo preparado, Adonai inicia seu trabalho. Como de igual maneira, em todas as criações, a primeira criação é a luz, então em um grito catártico, Fiat Lux, e a luz foi feita. A partir deste ponto não preciso entrar em detalhes, pois você conhece o desenrolar dessa história. Quero apenas focar em um ocorrido, e farei isso nos parágrafos seguintes.
***
O grigori ladrão da pedra, não era o mais forte dos anjos, porém o mais astuto e hábil na arte do falar e convencer. Ele sabia que seus dias celestes estavam por se findar e pouco tempo teria antes que fosse derribado. Além disso, as trevas em seu interior cresciam rapidamente, sempre a clamar por sangue, morte e destruição. Ele precisava agir e ligeiro. Ele carecia de seguidores, mais isso seria impossível se não houvesse separação entre Deus e os Vigilantes Universais. Ele precisava se tornar o poder, o dínamo que separa. E se possível ele separaria até Pai e Filho. Ele semearia a semente da discórdia entre os anjos superiores. A fé na bondade divina deveria ser abalada.
Uma voz gutural sussurrou em sua mente – “A chave para as trevas é a morte e com a mentira triunfarás”. Ele ainda não havia percebido, mas o dragão, em seu âmago crescia devorando seu espírito dia-a-dia. E na biblioteca celeste seu interesse pelo conhecimento proibido das eternidades precedentes crescia, em especial sobre a figura dracônica. Ele não teve maiores problemas em obter tal conhecimento, pois era o responsável pela manutenção do acervo da biblioteca real. Justamente o anjo que devia manter os livros em secreto traía o designo divino. Isso foi apenas o começo.
Um prazer perverso enchia-lhe o coração. Ele se via maior que o Criador, o que lhe enchia o espírito de orgulho e prepotência. Então enfim a semente do dragão germinou em sua mente. Ele percebeu que o seu sim, não precisava ser sim e o não, não precisava ser não. E o engano o fez sentir livre como nunca antes. O primeiro fruto da semente do dragão foi à mentira. A mentira que falsamente liberta.
Munido de conhecimento oculto e proibido se aproximou de Samyaza, o querubim do trono. O único anjo que conhecia o nome completo de Deus, o Logos, palavra passe que concedia acesso ao cubo de Metatron para alteração da realidade. Era poderoso em guerra e belo em formosura, sendo considerado o sinete da perfeição. Fazia sua morada junto às pedras afogueadas. Seu poder militar e anjos seguidores rivalizava com os de Miguel. Samyaza, não deixava transparecer, mas em seu interior deixou crescer certa inveja por Miguel, pois julgava desnecessário dois generais celestes.
Gadreel possuído pelo dragão havia percebido a insatisfação do querubim do trono. Sucessivamente alimentava o sentimento ínvido de Samyaza. Tornaram-se amigos. Gadreel em momento propício convidou-o para a biblioteca celeste e lá comungaram de conhecimento proibido. O dragão em Gadreel era ávido em devorar o espírito e sabia que não poderia abastecer-se ainda mais de sua morada, pois acabaria por destruir seu aliado por completo perdendo-o na morte e na loucura. Incentivou-o com sussurros semi-conscientes a fazer o Pacto de Execrações, descritos nos livros do primevo Aion, relatado no terceiro capítulo, “A criação do Dragão”.
Tão logo as juras do ritual se concretizaram o dragão entrou em Samyaza, lhe despertando dúvidas sobre a bondade divina. Ele sabia que o que fizera era errado, mas sentia um gozo maligno ao ver o mundo com os olhos do dragão. Enganado acreditava que o mal também poderia ser um bom trilhar e que as trevas eram belas. Não conseguiu compreender que o mal só atrai-o para a morte, e ao final consumiria seu espírito. Cabe neste momento dizer-lhe amigo que Deus deseja que sejamos um com Ele, mas Ele respeita nossa essência. Já o dragão devora-nos de forma que não somos um, mas acaba por amalgamar de forma indelével sua essência em nosso imo suplantando-a pela a dele. Sobrando somente ele. Sua fome é insaciável. E seu apetite irrefreável. E suas vítimas acabam por sucumbir, sem perceber a mordida do vampiro das almas.
Então por que Deus criou o dragão? Veja que o dragão é mal, pois assim foi criado, ele foi homicida, promotor da morte desde o princípio, e com justiça será tratado no final.
Nós eleitos, desde a fundação do mundo, somos vitoriosos de eternidade em eternidade. Somos mais que vencedores. Porém o dragão e sua semente serão derrotados de criação em criação. Como o vilão que em sua desgraça merecida abrilhanta a vitória do herói. A derrota do dragão é motivo de festa daqueles que viveram pelo Verbo. Isso está em nossos corações, implantado em nosso inconsciente. É a história arquetípica escrita na primeva incepção. Na criação anterior o dragão foi vencido pela força... Nesta, porém, o nosso inimigo está em nós e não será vencido pela força ou poder, mas pelo Espírito de Deus. Se a luta será terrível, a vitória será imensa. A vitória, no entanto, revelará sim de modo esplendoroso que o santuário santíssimo tem lugar em nosso mais íntimo, em nosso EU SOU. Seremos e já somos coparticipantes da natureza de Deus. O Misterium Tremendum, o galardão final, daqueles que são fiéis ao Verbo, será revelado e conheceremos como também somos conhecidos. E Deus fará tudo novo de novo!
Deus não é o autor da morte, a perdição dos vivos não lhe dá alegria alguma. Ele criou tudo para a existência, e as criaturas do mundo devem cooperar para a salvação. No entanto, a presença do mal permite o agir do bem. O Cristo teve a oportunidade de demonstrar seu amor, que em graça se transformou vertendo seu precioso sangue. E derrotada foi à morte e seu aguilhão e veneno será por fim destruído. Em alegria seremos transformados e o que hoje são sombras e névoas no porvir serão cores vivas como as luzes da aurora no esplendor do amanhecer.
O Eterno trabalha com ciclos. Como disse o sábio “Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou.”. Observe as estações do ano, os meses, as semanas e até mesmo os dias. Eles se repetem, mas sempre de forma diferente. A novidade não está exatamente naquilo que se vê, mas em como se vê.
Há tempo de destruição, de renovo, de trabalho, de descanso e neste fluir as eternidades passam. Ainda que em momentos de dor, mais perto chegamos do criador. Feliz aquele que achar mérito no autor das almas e para quem Ele disser, “Servo bom e fiel entra no teu descanso”. Nem todos adentrarão no descanso, pois com juras Ele disse “Não entrarão no meu descanso, embora fossem completadas as obras desde a fundação do mundo. ” Pois em certo lugar disse assim acerca do dia sétimo: “E descansou Deus no dia sétimo de todas as suas obras”. Pois aquele que entrou no descanso Dele, esse também descansou das suas obras, assim como Deus das suas. Lute por sua salvação, amigo, para que te aches no Espírito Eterno no dia em que Ele vir nas nuvens revelar as obras de suas mãos. O tempo é breve e já estamos no início do sétimo dia. Um dia para Ele são mil anos. Nosso tempo não é o Dele! E o homem é senhor do sétimo dia e reinará no milênio com o Cordeiro. Reino de justiça e paz.
Samyaza então revela a Gadreel o segredo do nome divino. Gadreel agora poderia entrar na nova criação divina e semear o germe do dragão. Entretanto havia um obstáculo. Como chegar ao santíssimo lugar, diante da presença divina, sem ser fulminado pela glória da visão sublime. Eles precisavam de algum artifício que pudesse ofender o Espírito de tal forma que este momentaneamente se ausentasse do sumo santuário. Precisavam conversar diretamente com o dragão e para isso usaram a pedra carmesim roubada. Assim, profanou a pedra de sangue para trazer do abismo ancestral o dragão. Munidos de poder profano conseguiram realizar a maior de todas as desonras, “O abominável da desolação” no lugar onde jamais deveria ser feito. Eu poderia relatar como e de que maneira isso foi realizado, mas o simples fato de mencionar tal hediondez é um sério pecado, por isso amigo, não entrarei em detalhes.
O dragão usou Gadreel para ocupar a serpente e então seduzir a Eva a comer do fruto do conhecimento. O dragão pôde então inserir no gênero humano sua corrupta semente. É por isto que alguns homens são verdadeiros demônios, sem qualquer tipo de compaixão ou remorso por seus atos. São filhos do diabo, promotores da morte e do engano, homicidas frios e insensíveis. Nos últimos dias, quando a ceifa estiver às portas, a distinção entre luz e trevas entre joio e trigo será fácil e assim os anjos terão pouca dificuldade em separar os bodes das ovelhas.
Nessa época, os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes aos seus pais, ingratos, ímpios, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Serão o reflexo do dragão trilhando o caminho da escuridão em profundas trevas. Do céu será revelada a ira de Deus contra toda a impiedade e injustiça dos homens que detêm a verdade em injustiça. Como disse o Revelador “veio a tua ira, e o tempo de serem julgados os mortos, e o tempo de dares recompensa aos teus servos, os profetas, e aos santos, e aos que temem o teu nome, a pequenos e a grandes, e o tempo de destruíres os que destroem a terra.” Mas antes da primeira luz do dia raiar no horizonte, a noite tem que ficar mais escura!
Deus sabia qual caminho o homem iria trilhar, mas Deus nunca pune um pecado que você ainda não cometeu. Deus realmente queria que o homem fosse como Ele, não negando-lhe nem mesmo seus atributos criativos, a maior vontade de um pai e que o filho trilhe seu caminho. Mas Deus sabia que isso tinha um preço, um alto preço, pois Deus não seria tão irresponsável de dar a uma criança tamanho poder de uma vez, por que o poder corrompe e o poder absoluto corrompe totalmente! Foi então que Ele, Deus, revelou seu plano ETERNO de SALVAÇÃO, o CAMINHO, pelo qual os escolhidos chegariam a DEUS, de forma a não se corromper! Deus plantou no jardim do Éden duas arvores, a do "Conhecimento do Bem e do Mal" e a arvore "da Vida". Nas regiões celestiais, o Satã, a inimizade, a sombra, também entraria nesse plano. Gadreel entrou na serpente e fez o homem escolher um caminho que não era a vontade do VERBO. Ele roubou a identidade do homem e autoridade sobre o mundo criando inimizade entre Deus e homem e entre homens e homens! E ainda fez parecer, que ele foi o bem feitor da humanidade, revelando um segredo oculto, o qual, segundo o diabo, Deus não queria que o homem soubesse! Mas tudo isso já havia ocorrido, em Deus, nas eras ocultas da ETERNIDADE.
Então DEUS faz a promessa, a primeira profecia, sendo o profeta o próprio Deus, "Um dia, um descendente de Eva, esmagaria a cabeça da Serpente" e ela, a serpente, feriria este homem no calcanhar! O problema é que agora, o ser do homem, estava corrompido e não refletia o EU SOU, o espírito de Deus, que diferencia os homens dos animais, havia adormecido, e a sombra (que na Bíblia é conhecido como carne – A semente do dragão) tomou seu lugar. A alma do homem se inclinou e inclina para o mal, porque a essência do dragão se ligou a ela, como já havia dito. Então, Deus no tempo certo, envia seu TABERNÁCULO, de carne, o VERBO abre o CAMINHO, do alto a baixo, rasgando o véu, o escrito de dívida, que separava DEUS do homem, se misturando com o homem de forma tal que não poderia ser separado. Uma guerra foi é e será vencida... Neste CAMINHO agora o homem tem em seu corpo duas essências conflitantes e que militam entre si, o ESPÍRITO e a CARNE. Por isso que Jesus, O VERBO TABERNACULADO, desce as profundezas trevosas do inferno e toma a chave da MORTE do diabo.
Tornando Ele, o cabeça dos principados e potestades (leia Colossenses 2 - atente para o versículo 10). Agora pelo sangue do cordeiro, o diabo (Gadreel), o dragão e satã (Samyaza) podem ser vencidos, porque Jesus é também senhor do INFERNO, como desde a eternidade foi, mas que a agora em plenitude se consumou! Por fim, Jesus ressuscita e então tem se inicio o tempo da graça. Neste tempo, todos que se alimentarem da Árvore da Vida, a Videira Verdadeira (leia João 15) e exercerem a autoridade de Cristo, sobre o mal, conservando seu Espírito Santo, serão arrebatados ou morrerão em Cristo, não experimentando jamais o dolo da segunda morte. E com o cordeiro reinarão pelos séculos dos séculos.
CAPÍTULO 2 - KAIRÓS
Quero contar aqui algo que ocorreu em um tempo fora do tempo. Quero falar da primeva incepção. É uma tarefa hercúlea, mas tentarei ... É certo que o Espírito Eterno, sempre ajudando e inspirando, está aqui... Que seria eu sem o Pneuma, meu amigo? Que preenche e transborda o coração daqueles que vivem pelo Cordeiro. Espero que Ele, enquanto você lê esses escritos, que encha até transbordar as palavras e a linguagem seja muito mais viva que apenas letras mortas num papel.
Antes do tempo existir existia o Verbo, como disse João, “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela.”
Todavia amigo pode ter passado em sua mente... O que havia antes do princípio, não é mesmo? Bom, tenho duas respostas para você, a mais simples é: Só Deus sabe... É... Não te satisfez... Nem a mim... Queremos saber, né? Aqui vem a segunda resposta. Nem tudo é possível saber, pois não há uma resposta que cabe na lógica atual desta criação.
Deixa te explicar melhor, se algo é o princípio de tudo, não pode haver antes... Estamos acostumados a viver em Chronos, o tempo depois do tempo, mas aqui, como disse outrora, estamos em Kairós, um não-lugar fora do tempo e do espaço. Isso por que o tempo como conhecemos também é uma Criação do Eterno.
Há perguntas que nunca saberemos a resposta. E há perguntas que não tem resposta. E estas só Deus sabe, por que Ele sabe de tudo. Em alguns casos Ele revela seus mistérios, como aconteceu com Enoch, o sétimo depois de Adão, mas isso lhe custou um alto preço. Não por que Deus é como o poderoso chefão, a Cosa Nostra, que lhe mata por que você sabe demais. Isso acontece por que há mistérios que se revelados podem modificar de tal forma a psique e o corpo que simplesmente a existência é desfeita.
Como está escrito em Gênesis que Enoch andou tanto com Deus que já não o era mais, e Deus o tomou. Esse tomar de acordo com o Codex Aleppo é אתו. Esta palavra tem sido alvo de estudos judaicos conhecidos como midrashim. Midrashim, nada mais é que estudos rabínicos mais aprofundados, tentando preservar a exegese original, que as vezes pode ter se perdido com o tempo. E podemos dizer que extraindo sua definição do Codex Aleppo ou ainda dos “Manuscritos do Mar Morto” possui uma acepção que mistura os sentidos das palavras fundir, desfazer, coexistir e coparticipar em uma única palavra.
E há Verdades em Deus e Ocultos que são tão perigosos, ou melhor, temerosos, que se revelados fora do momento escolhido enrolariam o universo como um pergaminho na mão de um escritor. E nisso não há menor graça... Nem para Deus... Nem para nós... É como saber o final do filme, antes de assisti-lo. Embora aqui não saiba nem revele estes mistérios, cuidado... Você não será mais o mesmo após ler esse livro... Eu te garanto... Quando o recebi percebi isso! É... o autor escreve, mas também o recebe, nem que seja pelo ar (Pneuma)! Não é mesmo Teófilo... Não é, meu amigo?
Voltaremos a falar depois sobre Enoch, personagem muito importante, que o livro de Judas (não o Iscariotes) cita, inclusive com alusões ao terceiro Livro de Enoch, que segundo muitos pais da Igreja, como Orígenes, deveriam estar no Cannon Bíblico, mas não estão por que os Judeus Ortodoxos, pais da Torah, o baniram pois continha profecias que os deixavam incomodados com sua exatidão sobre a vida do único e verdadeiro Cristo, Yeshua, o unigênito Filho de Deus.
O judaísmo rejeita a crença de que Jesus seja o Messias aguardado, argumentando que não corresponde às profecias messiânicas do Tanach, justamente por que mutilaram a Torah retirando o referido livro.
Quero deixar claro que não sou anti-semita muito pelo contrário. Oro pelo povo judeu, pelas suas aflições, mas sei que muito do que acontece no mundo (coisas boas e ruins) tem algum dedinho judaico. Em algum lugar está escrito que este povo será como pedra no sapato das nações. E em outro sítio diz que todas as famílias serão abençoadas pelos filhos de Abraão. Mas é certo que de fato comandam toda mídia ou pelo menos boa parte da mundial, mas com certeza da ocidental. Principalmente Hollywood. Preste atenção e verás que falo a verdade!
Quero também dizer que nada escapa a vontade de Deus. E este o permitiu, pois vivemos no tempo da graça, mas quando chegar o tempo dos Judeus estes acordarão para a besteira que fizeram, quão vergonhoso será reconhecer que eles, enganados e iludidos, favoreceram o “Abominável da Desolação”, por sua grande teimosia em não aceitar o Verbo Tabernaculado, Jesus de Nazaré. Sempre há um propósito oculto nas ações do Eterno. Principalmente na progressão do desvelo da verdade sobre o que e como se dará o desfecho de tudo. E o livro de Enoch terá importância ímpar neste processo.
Continuando... Posso dizer, ainda que grosseiramente, que Kairós é um lugar na mente de Deus, mais ou menos, como a imaginação humana, porém com realismo e detalhe maior que nosso mundo. Kairos é Deus descobrindo Deus e brincando de esconde-esconde com seu Filho e envolvendo e sendo envolvido pelo Espírito Santo. É como uma família, em seus momentos mais íntimos.
Bom... Para facilitar diremos que a primeira criação de Deus foi Deus. É como acontece no sistema de Boot de um PC. Deus cria Deus, ou melhor gera Deus. Deus na pessoa do Pai, cria o Filho, o Verbo. A BIOS de seu PC, ainda é seu computador, porém ela é o que dá o arranque em todo sistema computacional.
Por um prisma a vida pode ser vista como relacionamento. E não há relacionamento na Unidade Absoluta. Isso por que, relacionamento se expressa por pelo menos duas entidades. Deus só se relaciona com Deus em sua trindade. Entretanto, em Kairós, inicialmente só existia Deus UNO.
No princípio, havia o SER, o Verbo... Simples, compacto, total, denso e pontual. O “SER” neste ponto está impessoal e no infinitivo. Como o espectro da luz branca que carrega em unidade todas as cores. Não há o Eu, ou qualquer outro pronome, muito menos tempo verbal e ação. Apenas a existência. Embora não lhe faltasse cor alguma, faz parte da beleza de Deus compartilhar o que Ele tem...
É aqui que usar a linguagem, com suas limitações, torna tudo mais complicado. Se necessário releia esta parte. Vamos a ela...
Não havia nada, muito pelo contrário, do nada, nada se tira. O nada nunca se aplica ao ser, por isto não é! O nada como figura de linguagem pode ai sim ser alguma coisa, mas isso agora não vem ao caso. Nunca chegarei a um somando apenas zeros. Para o zero, o um é infinitamente grande, pois nem mesmo com infinitos zeros, chegamos a um. Mas com uns e zeros eu percorro o infinito. O sistema de numeração mais básico é composto de apenas dois números ou estados. Zero e Um. Ligado e Desligado. Vivo e Morto. Com estes dois dígitos posso expressar infinitos números... Ou estados... Mas o zero, ainda que seja o menor número expressando quantidade não é nada. Afinal o “é” pode lhe ser aplicado, pois este É um número.
Então o SER se esvaziou até morrer. A primeira morte é o vazio... Embora essa morte não seja a morte verdadeira... Algo como mergulhar num rio e voltar a superfície... Um batismo! Como um pai brinca com o filho com uma coberta fingindo e terminando com um put e se revelando.
As vezes esvaziar é triste e angustiante. As vezes trás alívio e gozo... Uma Catarse. Como os franceses chamam “La petit mort”. A pequena morte. Até Deus, apesar da dor de se esvaziar, sabia que o melhor é serem dois do que um! Morreu pois sabia que vale a pena morrer para que outros possam viver... Afinal... E a morte de Deus gerou o Filho. E assim dois estados ou entidades e um relacionamento em Espírito Santo.
Inicialmente esse relacionamento se processa como uma adição, uma soma, se preferir use a palavra do Codex Aleppo ???? para definir este relacionamento.
E o Filho falou... EU SOU! E um sorriso no rosto de Deus apareceu em alegria com as primeiras palavras do Filho... Ou seriam Suas? O que importa é que ele o Amou! Sim o primeiro sentimento de um relacionamento. O Espírito que une o Ser em Santidade! Agora Deus estava completo... Pai, Filho e Espírito Santo em Deus... Em Amor!
É amigo, na trindade as vezes não separamos quem é quem. Deus sabe bem expressar a palavrinha difícil, que significa fundir, desfazer, coexistir e co-participar, aquela do Codex, que da uma confusão doida na mente... Só posso dizer que a loucura de Deus é mais sábia que a sabedoria humana... Não é mesmo?
Quem nunca saboreou a cereja em cima do bolo fazendo um filho, não sabe o que é viver! A escritura afirma que o maior prazer aqui da terra é o menor dos que existem no céu! E deve ser mesmo, pois aqui cercados de pecados e de morte a expressão do amor, ainda que apenas erótico, é deveras agradável... Imagina como devem ser os relacionamentos no céu onde há pureza cristalina. Afinal o que temos aqui são apenas sombras, opacas como um espelho embaçado comparadas com o que há de vir!
Acho que estou ficando louco... Concorda?
Então continuando com essa sábia loucura... Deus, na Pessoa do Pai e Deus na Pessoa do Filho continuam um se entregando ao outro, enchendo e esvaziando, como um pulmão, renovando e purificando seu relacionamento, o Espírito de Sua Santidade que traz graça e sabor a vida, o Pneuma. Esse Amor, esse Espírito é o alimento da alma, da mente, de Deus, em Kairos, e também do nosso mais indissociável imo, o nosso EU SOU, o Arché citado no primeiro capítulo deste livro.
Quero deixar claro uma coisa. Deus é amor, mas o Amor, não é Deus. O amor, é o alimento, a fonte, o maná celestial que dá substância a matéria, mesmo que esse não a seja a matéria em si. Como disse Paulo em sua carta a Hebreus, “... entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus; de modo que o visível foi feito do invisível.” Em outras palavras, o que é físico, em sua essência, é feito daquilo que não está em Physis.
Seu fosse um cientista, e na verdade o sou, diria que a matéria não possui materialidade em si, mas o espaço, o oceano de Higgs é que lhe dá materialidade, como sua massa e densidade. O átomo é um imenso espaço vazio, com pequeníssimas partículas, uma laranja no centro de um gigantesco campo de futebol. O universo, no frigir dos ovos, é mais de 99,9999% de espaço vazio. Afinal, no principio, o grão de mostarda, átomo primordial, cabia na cabeça de um alfinete, mas pesava mais que bilhões de sois.
Falando em BIOS, que anteriormente referida como o Sistema Básico de Entrada e Saída, quero também falar de Bios, como vida biológica. Qual a principal coisa que deve existir para que haja vida? Para responder isso vamos definir vida.
Vida, conforme aprendemos na escola, de um modo geral, precisa exibir todos os seguintes fenômenos pelo menos uma vez durante a sua existência: Desenvolvimento: passagem por várias etapas distintas e seqüenciais, que vão da concepção à morte. Crescimento: absorção e reorganização cumulativa de matéria oriunda do meio; com excreção dos excessos e dos produtos "indesejados". Movimento: em meio interno (dinâmica celular), acompanhada ou não de locomoção no ambiente. Reprodução: capacidade de gerar entidades semelhantes a si própria. Resposta a estímulos: capacidade de "sentir" e avaliar as propriedades do ambiente e de agir seletivamente em resposta às possíveis mudanças em tais condições. Evolução: capacidade das sucessivas gerações transformarem-se gradualmente e de adaptarem-se ao meio.
***
Fim da mostra de meu primeiro livro... Podes reproduzir estes capítulos onde quiseres, mas lembre-se de citar o autor - Rodrigo Lima – http://seguidoresdocaminhoeterno.blogspot.com.b)
***
Curioso para saber o final... Você já sabe... Mas ainda não lembra!!! Aguarde... Em breve numa livraria perto de você e na internet para baixar gratuitamente em MOBI, PDF e Epub... Espere, vai valer a pena... Enquanto isso, espalhe a mensagem!
submitted by rodrigoablima to EscritoresBrasil [link] [comments]


2018.01.26 16:52 porco-espinho Minha visão totalmente parcial, sobre como melhorar (e MUITO) a sua vida. Vi um post parecido em um finado forum uns sete anos atrás e isso mudou minha vida, agora chegou minha vez de contribuir.

Faz algum tempo que estou querendo escrever isso, não sou muito bom com textos, mas vou tentar dar o meu melhor aqui. Esse texto é o que eu enviaria para mim mesmo dez anos atrás, espero que ajude alguem. Você não precisa seguir tudo, isso não é uma biblia, é o que funcionou pra mim, adapte para o seu cotidiano/vida e tire o melhor.
Isso não é uma lista sobre como ser uma pessoa melhor, ou como mudar o mundo, e sim como ser totalmente egoista e melhorar a sua vida.
Nos meus cinco ultimos anos eu melhorei e muito a minha vida, hoje tenho meu próprio apartamento em uma capital, não preciso me preocupar com dinheiro, meu salário em 2018 é 15 vezes maior do que meu sálario em 2013 e tenho conquistado muito mais do que eu um dia poderia imaginar cinco anos atrás. Isso foi só pra chamar a sua atenção e ver que você tambem pode mudar sua vida.
Desative as notificações do seu celular - Não vou citar links aqui, mas cinco minutos de Google você acha milhares de pesquisas, fortemente fundamentadas, que mostram que milhares de pessoas não conseguem mais sentar e manter o foco por mais de 30 minutos por estarem viciadas em interrupções. Sério, desative as notificações e pare de checar seu celular igual louco, se alguma coisa realmente séria acontecer, você vai receber uma ligação te avisando. Você não precisa estar 24 horas por dia disponivel no WhatsApp ou no Facebook. Essa simples mudança vai te trazer beneficios incriveis, acredite.
“Suspeita é uma armadura pesada e o seu peso dificulta mais do que protege.” — Robert Burns
Se desinforme - Sério, o que mudou na sua vida desde que a Dilma caiu ou o Eduardo Cunha foi preso? Você acha mesmo que todo o tempo/energia que você perdeu lendo matérias e acompanhando esse caso valeu a pena? Ler noticia sobre o que não tem influencia direta na sua vida é entreterimento, é a mesma coisa de assistir uma novela, sempre tem um gancho no final pra tentar te fazer voltar no outro dia e ler mais. Isso tambem vale para outros tipos de entreterimento disfarçado de conhecimento, sério, qual o valor que te agrega saber "Como funcionam os buracos negros" sendo que você trabalha como Nutricionista? É puro entreterimento, trate esse tipo de conteudo como tal, perder horas no youtube em canais de ciências não são horas produtivas é só tempo jogado fora.
“A verdade pode às vezes machucar, mas ilusão causa mais malefícios.” — Vanna Bonta
Ninguem vive de amor e ideais - Sério, não vivemos em uma roda hippie, somos um mundo capitalista e isso NÃO VAI MUDAR, se acostume e aprenda a viver nele. Você precisa de dinheiro e quanto mais melhor, é muito mais fácil você ser feliz gastando seus finais de semanas com viagens incriveis do que discutindo na internet sobre seu politico preferido.
“Resistência é inútil.” — Doctor Who
O sistema pune aqueles que não seguem seus padrões - O sistema É PRECONCEITUOSO, se você é homem, você NÃO VAI ser professor infantil. Você pode passar a sua vida inteira lutando por isso, mas não vai valer a pena, sério, vai ser cinco vezes mais dificil pra você do que para as pessoas que estão competindo com você, escolha outra coisa e segue a sua vida. Você pode até pensar "aah, mas se eu não lutar isso nunca vai mudar", isso é verdade, mas esse post aqui é como melhorar a SUA vida e não o mundo, só aceite que tem coisas fora do seu alcance.
“O mestre compreende que o universo é para sempre fora de controle.” — Lao Tzu
Mantenha suas opiniões para você mesmo - Pessoas levam tudo para o lado pessoal, se você é a favor do aborto ou contra ele, não importa, se alguem te perguntar simplesmente fale "eu ainda não li o suficiente". Você não quer que a pessoa lembre de você como alguem que tem a opinião errada (do ponto de vista dela), então melhor se manter sempre na zona neutra. Evite qualquer tipo de polêmica, como aborto, futebol, religião, politica, liberdade sexual, etc... Já vi pessoas perderem a chance de serem indicadas para vagas incriveis só porque quem poderia indicar não concordava com a posição politica da pessoa em questão, é errado, mas acontece e você não quer ser vitima disso. Publicamente o quão mais perto dessa pessoa você estiver, mais chances você terá: Relacionamento heterossexual estável, visão politica neutra, academia em dia, religião tradicional, financeiramente estável e pontual alem claro das coisas que serão cobertas no tópico a seguir.
“Cedo ou tarde, todos lidam com as consequências.” — Robert Louis Stevenson
Existem padrões de beleza, siga-os - Exatamente a mesma questão dos preconceitos, quanto mais dentro dos padrões você se adequar, mais fácil será sua jornada e não vale a pena lutar contra. Se você é homem, precisa manter sua barba e cabelo sempre bem feitos, se é mulher precisa ter sempre sua maquiagem, unhas e cabelos alinhados. Sempre mantenha o pensamento "eu preciso estar sempre pronto para ir em uma balada cara, ou em um bar de alto nivel". Sempre seja alguem bem arrumado, cheiroso e com a academia em dia. Aquele cabelo colorido ou penteado "da moda", só vai fazer a sua jornada ficar mais dificil, não vale a pena. Aqui tambem entram tatuagens, sério, o preconceito existe, e o simples fato de você ter uma, já reduz estatisticamente suas chances de crescer na vida, evite, não vale a pena.
“Em geral, o orgulho está no fundo de todos os grandes erros.” — Steven H. Coogler
Não confunda hobbie com profissão - Só porque você gosta de tocar violão, não significa que você vai conseguir ganhar dinheiro com isso.
“A única coisa que constitui o fundamento de uma mudança positiva é o serviço a outro ser humano.” — Lee Lacocca
Escolha sua profissão de maneira analitica - Você deve escolher sua carreira de acordo com o que você tem disponivel. Querer ser um Fisico Nucear e morar no interior do Amapá não vai te facilitar em nada e dificilmente valerá a pena. Pesquise, pesquise e pesquise, veja quais vagas as empresas da sua região estão contratando. PERGUNTE as pessoas que já trabalham, sabe aquele seu tio que trabalha numa multinacional e faz rios de dinheiro? Pergunte pra ele quais são as vagas mais dificeis da empresa preencher. Faça uma lista com os maiores salários das vagas que você encontrar, veja quantas vagas estão disponiveis e veja a rotatividade com que essas vagas aparecem. Quanto mais tempo, você demorar escolhendo e analisando, maior a sua chance de sucesso. Você vai perceber que tem monte de empresa pagando R$3500,00 mensal em vaga que só precisa de um curso técnico (normalmente bem especifico) que você faz em seis meses ou menos.
“Se você não fizer as perguntas certas, você não irá obter as respostas corretas.” — Edward Hodnett
Faça o que ama e nunca trabalhará um dia é a maior mentira que já te contaram - Mesmo se você for jogador profissional de video-game, jogar o mesmo jogo todo dia das 08h até as 18h durante dois anos, vai deixar aquilo chato, entediante e previsivel, vão ter dias, semanas e meses péssimos, não importa a sua profissão. Já que vão ter dias péssimos é melhor você garantir que o seu sálario faça-os valer a pena. Melhor ter um mês péssimo e ir pra Londres tirar férias, do que ter um mês péssimo e passar o final de semana assistindo Netflix e contando as moedas pra pedir pizza.
“A verdade o libertará, mas primeiro ela vai lhe fazer infeliz.” — James A. Garfield
Começe a trabalhar o mais cedo possivel - Quando você está dentro de um mercado de trabalho, você vai começar a perceber quais são as vagas mais privilegiadas, quais tem mais mercado, quais tem um futuro mais promissor e vai ter uma noção ainda melhor de como você deve se especializar. Eu diria que o ideal é você sair do ensino médio e começar a trabalhar durante o dia e estudar de noite e quando eu falo em emprego é algum trabalho que realmente vá te ajudar a crescer, nada de caixa do McDonalds, é melhor fazer estágio de graça dentro de uma empresa grande do que ter um sub-emprego ganhando mil reais.
“O descontentamento é a primeira necessidade do progresso.” — Thomas Edison
É muito bom ser foda - Sério, você não tinha orgulho quando só você tirava 10 naquela prova que todo mundo foi mal? Então, é essa a sensação que você tem que perseguir pelo resto da sua vida.
“Confie apenas em si mesmo, e outro não deverá traí-lo.” — Thomas Fuller
Seja o melhor - Essa parece óbvia, mas tem muita gente que não leva isso à sério. Porque o projeto mais dificil fica com a pessoa X e não com você? O que ela tem de melhor? Descubra e COPIE, você vai ter que ficar melhor que aquela pessoa. Sempre mantenha em mente o seguinte: "Se a empresa cortar metade da minha equipe, eu tenho que garantir que sou bom o suficiente para não ser nem considerado nesse corte".
“Não pode haver progresso sem confronto direto.” — Christopher Hitchens
Não existe "dom" - Pra você ser bom em uma coisa é só uma questão de investimento de horas. SÉRIO! Se passar três meses, desenhando por 14 horas por dia, você vai ter investido 1260 horas (33014) em desenho, e você vai ficar FODA em desenho, sério, você vai passar do nivel "boneco de palitinho" para o nivel "Monalisa". Vai ser fácil? Não, nunca disse que era um caminho fácil, mas só depende de você.
“Ficar parado é a morte. Se não mudar, você morre. Simples assim, assustador assim” — Leonard Sweet
Fuja de vagas de gerencia de pessoas enquanto você é novo - Essa aqui foi uma dica que eu recebi e nunca esqueci. O exemplo é o seguinte: Você é designer na empresa X, numa equipe com outros N designers e todos vocês tem um Diretor de Arte, se esse diretor sair da empresa é MUITO MAIS PROVAVEL, que a vaga dela vai ser assumida por algum outro designer que já estava no time à bastante tempo e conhece toda a dinâmica da empresa. O que isso significa? Se você trabalhar numa empresa como Diretor de Arte por 3 anos e quiser mudar de empresa, vai ser MUITO mais dificil, de você encontrar outra vaga no mesmo como Diretor de Arte do que encontrar outra vaga como designer. Sério, só vá para vagas de gerenciamento quando tiver certeza que você quer ter muita estabilidade e não vai querer mudar de emprego em curto/médio prazo. Ficar preso numa empresa que você odeia porque não consegue achar outro emprego que tê pague tão bem quanto o seu atual é uma merda, você não vai querer isso.
“A verdade foge a todos os padrões.” — Bruce Lee
A ideia do post não é ser ofensivo, só estou sendo direto sobre coisas que acontecem no dia-a-dia, o mundo não é perfeito e não é um morango encantado, mas com esses truques simples sua vida vai ser MUUUITO mais fácil.
Mais uma vez, a ideia do post é melhorar a SUA vida e não o mundo, então eu entendo que muitas pessoas vão discordar de alguns pontos, já que são feitos de uma visão bem "egoista", mas isso vai de cada um sobre como aplicar isso e até onde vale a pena.
Peço desculpas antecipadas por erros de portugues, acentuação, e sobre a estrutura do texto em geral, sei que tem muita coisa errada ai.
submitted by porco-espinho to brasil [link] [comments]


2017.02.27 04:59 Kiraua [Me ajuda, /r/brasil] Quando devemos ir atrás de algum psicologo ou terapeuta?

Desde que me entendo por gente tenho problemas para me socializar. Até um tempo atrás eu saía apenas para escola e mal dava bom dia para meus colegas e amigos. Sou considerado atraente e muitas garotas flertavam comigo, mas eu nunca soube como reagir a isso, assim ficando com uma fama de "Badboy" por tratar "mal" algumas garotas.
Com o tempo eu percebi que passava por situações que até então seriam "incomuns" para garotos na minha idade. Não saber se eu estava feliz ou triste, ou apenas perceber que eu estou sentindo medo quando minhas mãos começam a tremer. As vezes eu simplesmente me distraía e começava a encarar a parede, minutos depois eu simplesmente não me lembrava o que estava pensando. Aconteceu isso ontem, eu levantei da cama e fiquei de pé nela encarando o travesseiro.
As vezes tenho crises de identidade e não sei exatamente o que eu realmente gosto ou estou me forçando a gostar.
Quando eu comecei a me relacionar com uma ex-namorada, ela me acusava de estar diferente e que sentia que conversava com duas pessoas diferentes. Podia ser algo da mente dela ou uma forma dela por a culpa em mim por qualquer coisa, então não levei tão a sério. Logo depois ela decidiu terminar porque de acordo com ela eu não a amava. As vezes sinto um incrível desejo de namorar de novo, mando mensagem para alguma garota e marco em tal dia para ficar com ela, quando esse dia chega a minha vontade simplesmente some e eu vou por obrigação ou invento alguma desculpa.
A grande questão é: Quando eu sei que devo ir em algum especialista analisar tudo isso? Vale a pena? Qual eu deveria ir? Tudo isso é realmente incomum ou acontece com todos e eu não tenho referencias para comparar por causa do meu jeito com as pessoas? Eu não tenho um relacionamento profundo com a minha família, por isso não converso sobre com os meus pais. Só me resta ouvir a opinião de vocês.
submitted by Kiraua to brasil [link] [comments]